A saída de Antonio Conte do Chelsea era certa, o que faltava saber era quem terminaria a relação. E foi o Chelsea. O clube decidiu demitir o treinador italiano, de 48 anos, que tinha mais um ano de contrato com os Blues. Para isso, porém, precisaria pagar a multa rescisória, com todos os salários até o fim do contrato, totalizando cerca de £ 9 milhões. Só que o clube não vai pagar. Segundo noticiado por veículos de imprensa ingleses, o clube irá demiti-lo por justa causa, o que eliminaria a multa. Mas o caso não parece tão simples assim.

LEIA TAMBÉM: Mahrez consegue a transferência que tanto queria e aprofunda o elenco do City

Segundo a Sky Sports, Conte foi demitido por “alienação de vários jogadores e quebra completa de comunicação com a diretoria do clube”. A demissão de Conte aconteceu nesta quinta-feira, 12, no centro de treinamento do Chelsea, em Cobham. A decisão foi anunciada ao treinador pelo presidente do clube, Bruce Buck. O Chelsea confirmou a saída nesta sexta-feira.

Para o Chelsea, o comportamento de Conte quebrou os termos do seu contrato como técnico. O ponto chave da demissão é Diego Costa. A mensagem de texto enviada pelo treinado ao atacante, informando que ele não estava nos planos, deve se tornar prova no processo do clube contra o treinador, de forma a comprovar a justa causa e, assim, não pagar a multa. Os advogados de Conte irão recorrer da decisão do Chelsea na justiça.

Ainda segundo a Sky Sports, o Chelsea tentou entrar em acordo com o técnico para a sua demissão em várias reuniões depois do fim da temporada e durante as férias. Os dois lados não chegaram a um denominador comum em relação ao pagamento da multa, nem quanto ao valor, nem quanto à forma de pagamento. Com isso, o Chelsea tomou a decisão de demiti-lo e provar que ele quebrou o seu contrato de técnico com o seu comportamento, em uma disputa que deve durar meses nos tribunais.

Conte chegou ao Chelsea em 2016, logo depois da Eurocopa, quando dirigiu a Itália em uma boa campanha, parando na Alemanha nas quartas de final. Na sua primeira temporada,  Conte conseguiu superar José Mourinho no Manchester United e Pep Guardiola no Manchester City, além de Mauricio Pochettino no Tottenham, para conquistar o título. Além disso, ainda conseguiu causar um impacto na liga com o seu 3-4-3, em um sistema que se espalhou por outros times.

A boa campanha na temporada inaugural do técnico não se repetiu na seguinte. Em 2017/18, o Chelsea teve um desempenho ruim, mesmo se recuperando no final, e acabou em quinto na Premier League, fora da zona de classificação para a Champions League. O desempenho ruim do time no balanço da temporada se somou a outros problemas do técnico no clube. Em janelas de transferências, o italiano costumava reclamar publicamente da falta de reforços. Além disso, o caso Diego Costa acabou sendo muito mal vista pelo clube, porque além de perder um jogador fundamental por seis meses, ainda perdeu dinheiro na renegociação. No fim, a relação de Chelsea e Conte estava terminada há tempos. Restava saber como terminaria. E não terminou bem.

Sarri próximo de ser anunciado

Ao que tudo indica, o próximo técnico do Chelsea será Maurizio Sarri, que também teve uma saída complicada do Napoli, ainda que bastante menos difícil que a de Conte. Segundo a Sky Sports, ele será anunciado nos próximos dias. Mais do que isso, o preparador físico Paolo Bertelli, que trabalhava com Conte, deve ficar. Ao menos é a vontade do Chelsea, que ele se integre à nova comissão técnica.

O clube queria manter Gianluca Spinelli, preparador de goleiros, mas o profissional escolheu ir para o Paris Saint-Germain por causa do seu relacionamento com Gianluigi Buffon, que também foi para Paris.