Rafael Botti tem 34 anos e joga na Tailândia. Você talvez não lembre dele atuando no Brasil. O jogador, nascido em Juiz de Fora, foi revelado pelo Vasco, onde se profissionalizou em 2001. Jogou a maior parte da carreira na Ásia, onde defendeu o Jenbuk Hyundai, da Coreia do Sul, entre 2002 e 2007, Vissel Kobe, do Japão, entre 2007 e 2011, e jogou por dois anos no Figueirense, de 2012 a 2014, ano que voltou ao futebol asiático, desta vez para defender o Army United, da Tailândia. Neste fim de semana, ele fez um gol que não se destacou pela beleza, mas pela comemoração, que mostrou solidariedade a um garoto em uma cadeira de rodas.

LEIA TAMBÉM: Votar em Wendell Lira é premiar a melhor história de vida em meio às pompas da Bola de Ouro

O Army United vencia o jogo com o Chiangrai United facilidade e, aos 26 minutos do segundo tempo. Ele marcou o quarto gol, tirou a camisa, mas tinha outra por baixo (lembrando até a comemoração de Viola, no título do Campeonato Paulista de 1988) e correndo em direção ao banco de reservas. Mas o objetivo não era abraçar um companheiro ou o técnico da equipe.

Rafael foi até um garoto, Victor, em uma cadeira de rodas, na beirada do campo e deu a camisa a ele. Mais do que isso, puxou a cadeira de rodas e pediu aplausos à torcida ao garoto, que luta contra a distrofia de Duschenne.

Grande atitude do brasileiro! Veja as cenas abaixo:

Via Non Sense Football