Brasil

Viaje no tempo com este mapa interativo sobre os clubes do Cariocão nos anos 1920 e 1930

Mapas são sempre divertidos. Ainda mais quando você pode aprender um bocado sobre a história do futebol com eles. E, nessas andanças desenfreadas pela internet, descobrimos uma verdadeira pérola: um mapa interativo do Rio de Janeiro, indicando os estádios dos clubes que disputavam o Campeonato Carioca nas décadas de 1920 e 1930, na transição entre amadorismo e profissionalismo. Dá para viajar não só nas antigas canchas dos grandes (America e Bangu incluídos na conta), assim como saber um pouco mais sobre os velhos participantes do Cariocão – como o São Cristovão, o Andarahy, o Bonsucesso e o Madureira.

O mapa permite verificar o que aconteceu com os antigos dos campos através das imagens de satélite, já que muitos deles não existem mais. E também traz informações sobre o destino dos clubes nos anos seguintes, caso tenham se mudado para novas sedes. Um trabalho sensacional do jornalista Emmanuel do Valle, dono do blog Flamengo Alternativo, ótima pedida para quem quiser saber mais sobre a história dos rubro-negros.

Repare como o campo da Rua Paissandu, onde o Flamengo jogava, ficava próximo das Laranjeiras. Na localização central do America antes de se mudar para Mesquita. No antigo escudo do Botafogo, na forma como o Vasco estava rodeado por adversários na Zona Norte ou na “viagem” para encarar o Bangu na Rua Ferrer. Dá até para perceber como o futebol estava bem mais enraizado no cotidiano da cidade, em um nível que até lembra Londres ou Buenos Aires.

Para brincar com o mapa, basta clicar aqui. E divirta-se.

 

VOCÊ TAMBÉM PODE SE INTERESSAR POR:

>>> Como seriam os campeonatos se os antigos impérios ainda existissem? Veja os mapas

>>> Este mapa mostra como as bombas da Segunda Guerra atacaram o futebol de Londres

>>> Dizem que Londres tem time em tudo quanto é canto. Esse mapa não deixa mentir

>>> O Muro de Berlim dividiu as torcidas da cidade, e este mapa prova isso

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo