Brasil

Magrão comemora dez anos de títulos e defesas com um dia (amargo) de homenagens

Nesses dias de futebol dinâmico demais, em que 100 jogos por um clube já vira motivo de comemoração, completar 10 anos vestindo a mesma camisa é uma raridade. Por isso, Magrão merece todas as homenagens ao completar uma década defendendo as metas do Sport. No último domingo, no empate com o Salgueiro por 1 a 1, o goleiro jogou com a camisa 10, ganhou uma malha especial das mãos do capitão Durval e viu o seu rosto reproduzido em máscaras na arquibancada da Arena Pernambuco.

LEIA MAIS: Vitória da Conquista, Operário, Salgueiro: os pequenos coparam no domingo de decisões

Na realidade, o dia do aniversário da contratação do goleiro do clube pernambucano foi 21 de abril, a última terça-feira, e a diretoria do Sport chegou até a ser criticada pela imprensa e por torcedores por não ter feito homenagens à altura do acontecimento. Nesse vácuo, teve que lidar com uma saia-justa quando a organizada Torcida Jovem entrou em cena.

A torcida levou máscaras do Magrão
A torcida levou máscaras do Magrão

A Jovem do Sport não tem relações com o clube e está proibida pela Justiça de entrar no estádio por causa de episódios violentos. Ainda assim, tentou combinar uma homenagem a Magrão, mas não conseguiu levá-lo à sede da organizada. Em suas palavras, porque a diretoria “coibiu” a presença dele lá. A solução foi surpreendê-lo na Ilha do Retiro com uma camisa que levava o rosto do goleiro e tirar uma foto. Apenas isso foi o suficiente para começar a polêmica e obrigá-lo a explicar o caso.

“Fui surpreendido, dentro do clube, por um grupo uniformizado pedindo para tirar uma foto comigo. Não me senti confortável em recusar. Mas não autorizei explorar a minha imagem, pois, inclusive, tenho contrato de cessão de imagem com o Sport, até porque sei que o clube não compactua com torcidas organizadas”, disse.

A semana que deveria ter sido de festa para Magrão acabou tendo um gosto amargo, não apenas por causa desse episódio controverso com as organizadas, embora, cessão de direitos de imagem à parte, qualquer torcedor tem o direito de tirar foto com os jogadores. Mas, no domingo, no jogo da homenagem, o Sport foi eliminado pelo Salgueiro nas semifinais do Campeonato Pernambucano.

De qualquer forma, Magrão merece todas as homenagens. Chegou em 2005 como um desconhecido, passou pela situação meio chata de levar o gol mil de Romário (pelas contas dele), mas mais do que se redimiu, com o pentacampeonato pernambucano e o título da Copa do Brasil. Acima de tudo, rendeu memórias ao torcedor com defesas fantásticas. Algumas delas estão nesse vídeo do Globo Esporte de Pernambuco, ano passado, com 20 defesas de pênalti do goleiro com a camisa do Sport.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo