Campeonato Brasileiro

Há 10 anos, São Paulo selava o tricampeonato brasileiro com uma grande reviravolta

Mesmo antes da temporada começar, o São Paulo já tinha uma equipe para entrar na história. Havia conquistado a Libertadores pela terceira vez e emendado dois títulos seguidos do Campeonato Brasileiro. Mas não parecia que o terceiro viria. No entanto, 10 anos atrás, em 7 de dezembro de 2008, um gol de Borges na vitória por 1 a 0 sobre o Goiás assegurou ao clube do Morumbi o primeiro tricampeonato de sua história em qualquer competição profissional.

LEIA MAIS: Demissão surpreendente de Aguirre levanta uma pergunta: o que quer o São Paulo?

Havia um cheiro de fim de ciclo no ar. Muricy Ramalho havia sido incrivelmente vitorioso à frente do São Paulo, mas as eliminações na Libertadores causavam riscos em seu prestígio. Em 2008, a queda nas quartas de final, em mais um duelo brasileiro, contra o Fluminense, parecia a gota d’àgua. E com contornos dramáticos. Os donos da casa ganharam no Morumbi, por 1 a 0, e empataram em 1 a 1, aos 25 minutos do segundo tempo. Logo na sequência, Dodô fez 2 a 1, placar que ainda classificaria o São Paulo. Apenas aos 46 minutos do segundo tempo, Washington colocou os cariocas nas semifinais.

O calendário marcava 21 de maio quando veio a eliminação na Libertadores. Àquela altura, haviam sido disputadas duas rodadas do Brasileirão, e o São Paulo não havia vencido nenhuma. O primeiro triunfo apareceu apenas no quinto jogo, uma goleada por 5 a 1 sobre o Atlético Mineiro. Foi o início de uma recuperação, mas o primeiro turno ainda foi oscilante e terminou com o clube paulista na quarta posição, a oito pontos do líder Grêmio.

Na 20ª rodada, inauguração do returno, apareceu a chance de entrar de vez na briga pelo título. E o São Paulo não a agarrou. Perdeu no Olímpico por 1 a 0, e ficou a distantes 11 pontos da liderança. Um revés que sepultaria o ânimo de qualquer um, mas aquela equipe do São Paulo tinha a vitória no DNA e, em vez de tirar o pé do acelerador, afundou-o ainda mais.

Não perderia mais no returno. Emendou 17 rodadas de invencibilidade até chegar à última, contra o Goiás, no Distrito Federal, três pontos à frente do Grêmio. Precisava apenas vencer para selar o tricampeonato, e o gol de Borges, na sequência de uma falta cobrada por Rogério Ceni, garantiu o 1 a 0.

A lembrança de tempos gloriosos também carrega gosto um pouco amargo porque foi o último título do clube de relevância nacional. Desde então, a única outra conquista foi a Copa Sul-Americana de 2012, e o São Paulo ainda busca o caminho para voltar dez anos no tempo e ser Soberano mais uma vez.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo