A duas rodadas do fim, a briga pelo título do Brasileirão se afunila, e Flamengo e Internacional fazem na próxima jornada uma espécie de final antecipada. Rubro-Negro e Colorado venceram, respectivamente, e e são os favoritos quase exclusivos ao título. Entretanto, observam no retrovisor o , que voltou a vencer após sete tropeços seguidos no campeonato e ainda tem chance matemática, embora ínfima, de levar a taça.

Os resultados deste domingo (14) tiraram de vez o Atlético Mineiro da disputa, depois do empate do Galo no sábado (13) em 1 a 1 com o Bahia. Com suas vitórias, Inter e chegaram a 69 e 68 pontos, nesta ordem, e se enfrentam na próxima rodada, no Maracanã. Uma vitória colorada no confronto direto garantiria o título ao time de Abel Braga, enquanto um triunfo do Flamengo daria à equipe de Rogério Ceni o poder de definir seu próprio destino na rodada final. O empate, por sua vez, daria essa condição ao Inter.

A vitória de virada sobre o fora de casa manteve o São Paulo matematicamente vivo na briga pela taça. Para isso, precisará de uma combinação extremamente improvável: vencer seus três jogos restantes, contra Botafogo, e Flamengo, torcer por empate entre o Rubro-Negro e o Inter na próxima rodada e contar com vitória do Corinthians sobre o Colorado no fechamento do campeonato.

Na briga pela Libertadores, a derrota do Corinthians para o Flamengo garantiu o Fluminense na fase preliminar da competição continental na próxima temporada. Os alvinegros, com 49 pontos na 10ª colocação, foram ultrapassados por e Santos, com 50, e veem a disputa pela última vaga na pré-Libertadores se acirrar, tendo pela frente Santos, Vasco e Inter em seus jogos finais.

O , que dependia de uma vitória nesta rodada para escapar de forma antecipada do rebaixamento, encontrou um Palmeiras determinado a deixar a má campanha no Mundial de Clubes para trás e agora vai para as duas rodadas finais ainda sob ameaça.

No jogo mais polêmico do dia, o Vasco foi derrotado pelo , permaneceu na zona de rebaixamento, a um ponto do 16º colocado, o Bahia, e deixou o gramado se queixando bastante da arbitragem após uma polêmica envolvendo o VAR. No lance do primeiro gol colorado, o procedimento do assistente de vídeo falhou ao tentar verificar possível impedimento, e a marcação de campo, a validação do gol, foi mantida. O Cruzmaltino afirma que pedirá a anulação da partida, citando pane do VAR.

Classements proposés par SofaScore LiveScore

Flamengo 2×1 Corinthians

O Flamengo começou melhor e abriu o placar já aos dez minutos de jogo. Em cobrança de falta, Arrascaeta levantou a bola na área, e Willian Arão se antecipou à marcação para cabecear no canto direito de Cássio. Intenso, o Flamengo seguiu pressionando e criou mais duas boas oportunidades antes dos 20 minutos. Na segunda delas, Bruno Henrique acertou o travessão em cabeçada após cobrança de escanteio.

Sem a posse da bola ou volume de jogo ofensivo, o Corinthians aproveitou a única chance que teve na primeira etapa para empatar logo após a finalização de Bruno Henrique. Araos dominou uma bola pelo alto, girou e encontrou Léo Natel com um passe nas costas da defesa. O atacante ajeitou o corpo e bateu na saída de Hugo Souza para fazer 1 a 1.

Em seu 100º jogo com a camisa rubro-negra, Gabigol foi o autor do gol da vitória. Aos dez minutos do segundo tempo, Bruno Henrique chutou colocado, Cássio espalmou, e no rebote Éverton Ribeiro passou para o camisa 9 completar para a rede. Após cerca de quatro minutos de checagem no VAR, o gol foi validado, decretando a vitória por 2 a 1 ao Flamengo. Nos acréscimos, Pedro, que havia entrado no lugar de Gabigol aos 34 do segundo tempo, perdeu a chance de ampliar o triunfo, chutando fraco para defesa de Cássio.

Vasco 0x2 Internacional

Vasco e Internacional fizeram um confronto de poucas chances ao longo do jogo, mas com espaço para polêmica de arbitragem e correria nos minutos finais. O Inter teve a primeira boa chance da partida logo aos cinco minutos: após bate-rebate, a bola sobrou para Yuri Alberto, que chutou de curta distância para boa defesa de Fernando Miguel.

Aos dez minutos, Moisés cobrou falta na área, e Rodrigo Dourado desviou de cabeça para marcar. O lance deu origem à grande polêmica do jogo: a verificação das linhas de impedimento pelo VAR falhou, e a decisão de campo foi mantida, validando o gol e revoltando o Vasco.

O VAR foi protagonista mais uma vez aos 32 minutos do segundo tempo, quando Cano recebeu em boa posição, se ajeitou para o chute e foi derrubado em dividida com Cuesta. Depois de revisão na tela à beira do campo, o árbitro assinalou o pênalti. Na cobrança, Cano tentou tirar de Lomba, mas tirou também do gol, mandando à direita, pela linha de fundo.

Martín Benítez teve uma boa chance aos 43 minutos após passe de Léo Matos. Recebeu dentro da área, deu um bonito drible de corpo em Nonato e bateu colocado, mas para fora, perto do ângulo superior direito de Lomba. Em posição de impedimento, Cano, aos 48 minutos, parou em excelente defesa do goleiro do Inter após cruzamento de Carlinhos.

Dando sopa ao azar nos minutos finais, o Vasco errou duas saídas de bola, entregando a posse ao Inter. Na primeira, Galhardo bateu de longe para defesa simples de Fernando Miguel. Na segunda, o Colorado não desperdiçou: Peglow passou para Edenílson, recebeu de volta e tocou para Galhardo, que bateu colocado para fechar o 2 a 0.

Athletico Paranaense 2×1

O Athletico Paranaense conquistou uma importante vitória em sua briga por uma vaga na Libertadores, mas o Atlético Goianiense não vendeu barato a derrota. A equipe visitante começou o duelo pressionando o Furacão. Aos 14 minutos, Chico arriscou de fora da área e por muito pouco não abriu o placar, mandando à esquerda do gol de Santos. Aos 19, em transição rápida, Wellington Rato recebeu belo lançamento de Janderson, entrou na área e bateu forte para boa defesa do goleiro do Athletico.

O jogo melhorou no segundo tempo, e as duas equipes criaram oportunidades nos três primeiros minutos pós-intervalo. Primeiro o Dragão, com chute de longa distância de Wellington Rato quicando na frente de Santos e assustando o goleiro. O Furacão respondeu com Léo Cittadini, pegando sobra de cruzamento e batendo para fora.

Na melhor oportunidade da partida até então, aos 13 da segunda etapa, Chico apareceu livre na segunda trave após cruzamento, mas isolou a bola, desperdiçando a chance de abrir o placar para o Atlético Goianiense. Mais eficaz, o Athletico inaugurou o marcador aos 18: Thiago Heleno lançou para Abner, que tocou para trás até Vitinho. O ponta ajeitou e acertou um bonito chute de fora da área, no canto esquerdo de Jean, para fazer 1 a 0.

Oito minutos mais tarde, o Dragão foi buscar o empate com Roberson, que completou de cabeça um cruzamento de Janderson, vindo da direita, para vencer o goleiro Santos, contando ainda com desvio no travessão. Já nos acréscimos, aos 47, Nikão cruzou, e Thiago Heleno, também de cabeça, marcou o gol da vitória por 2 a 1 do Furacão.

Palmeiras 3×0 Fortaleza

Mesmo com várias mudanças na equipe titular, o Palmeiras teve uma atuação de destaque para se livrar da ressaca do quarto lugar no Mundial de Clubes. No retorno ao Brasileirão, em que não disputa mais nada, o Alviverde construiu toda a sua vitória por 3 a 0 sobre o Fortaleza ainda no primeiro tempo, sem dar chances aos visitantes.

Com trocas rápidas de passe e um Gustavo Scarpa cheio de confiança, o time de Abel Ferreira bombardeou o Leão. Scarpa abriu o placar aos 20 minutos em linda cobrança de falta colocada, por cima da barreira, no canto esquerdo inferior de Felipe Alves. Seis minutos mais tarde, Marcos Rocha cruzou rasteiro, e Lucas Lima completou para o gol. Por fim, aos 38 da primeira etapa, Breno Lopes mandou uma bomba de fora da área, no canto direito do gol do Fortaleza, e decretou o 3 a 0.

As três mudanças feitas por Enderson Moreira no intervalo, com as entradas de Carlinhos, Osvaldo e Derley, não mudaram o panorama do jogo, e o Palmeiras controlou o ritmo do encontro na segunda etapa. Aos 30 minutos da etapa final, teve ainda uma ótima chance de ampliar com Patrick de Paula, após passe fantástico de Raphael Veiga entre as linhas, mas o garoto pegou mal na bola, e Felipe Alves espalmou para escanteio.

Grêmio 1×2 São Paulo

O São Paulo enfim se reencontrou com a vitória. Na Arena do Grêmio, bateu o time da casa de virada, por 2 a 1, o seu primeiro triunfo em 2021. A vitória mantém o Tricolor Paulista matematicamente na disputa pelo título, mas a reação precisava ter chegado antes para estas chances serem factíveis.

Os visitantes tiveram as primeiras chances do jogo com Luan, batendo colocado de fora da área, aos dois minutos, e Luciano, aos nove, mandando por cima do gol. Aos 17, Daniel Alves cobrou falta com efeito e forçou Vanderlei a espalmar. O Grêmio respondeu, passou a controlar mais as ações e a criar suas próprias chances. Aos 24 minutos, Volpi afastou bola que veio pelo alto, e Diego Souza arriscou de primeira, com precisão, para boa defesa do goleiro, que espalmou para escanteio. Na cobrança levantada na área, Alisson desviou com perigo, à esquerda do gol. Nove minutos mais tarde, Diego Souza recebeu um presente de Arboleda, que afastou mal a bola e entregou no pé do artilheiro do Grêmio. O camisa 29 não desperdiçou, abrindo o placar para os anfitriões.

O São Paulo teve dificuldade para furar a defesa do Grêmio na reta inicial do segundo tempo, com a equipe de Renato Gaúcho atuando recuada. Insistente, enfim chegou ao empate aos 17 minutos. Após bola afastada por Victor Ferraz, Tchê Tchê ficou com a sobra na entrada da área, bateu colocado, de esquerda, e venceu Vanderlei.

Empolgado com o empate, o Tricolor Paulista foi rapidamente buscar a virada seis minutos mais tarde. Volpi deu um chutão pra frente, a defesa do Grêmio afastou, mas no pé de Luciano, que avançou até a área, limpou a marcação e chutou de esquerda, contando com desvio em Paulo Miranda para matar Vanderlei.

O Grêmio não conseguiu criar chances de gol perigosas após isso, e o São Paulo esteve perto de marcar com Daniel Alves, que acertou a trave em chute caprichado de fora da área aos 35 minutos. Para encerrar a noite, Pinares, que havia acabado de levar cartão amarelo por reclamação, cometeu falta para outro amarelo e foi expulso aos 54 minutos, deixando o Grêmio com dez.