Campeonato BrasileiroLado B de BrasilSérie B

As idas e vindas da despedida de Arlindo Maracanã, uma bandeira do Sampaio Corrêa

Arlindo Maracanã é um símbolo do Sampaio Corrêa. O veterano de 37 anos começou a sua carreira no clube, participando da conquista da Série C em 1997 e da campanha até as semifinais da Copa Conmebol no ano seguinte, antes de rodar o Brasil. Defendeu dez clubes, incluindo Vasco, Fluminense, Avaí e Bahia. Já os seus maiores sucessos aconteceram com a camisa do Ceará, pelo qual acumulou cinco passagens e ergueu duas taças de estaduais. Em 2011, enfim, o maranhense voltou a São Luís para viver sua epopeia final com o Sampaio. E o polivalente capitão (que, ao longo da carreira, chegou a jogar em todas as posições possíveis, inclusive como goleiro) liderou a escalada da Bolívia Querida. Foi bicampeão estadual, conquistou a Série D em 2012 e ainda participou do acesso na Série C em 2013 – marcando um dos gols na épica classificação contra o Fortaleza na fase de grupos.

A última semana, porém, marcou o adeus de Maracanã dos gramados. A festa de despedida aconteceu dentro do Castelão, diante de 29 mil pessoas na rodada de abertura da Série B. O ídolo recebeu diversas homenagens, dos companheiros às arquibancadas. Mas, escalado como um ‘falso 9’, o volante nada pôde fazer para evitar a goleada do Vasco por 4 a 0. “Não foi a despedida que eu esperava. Porque eu queria fazer gols e sair com a vitória. Mas Deus sabe o que faz, o importante é que eu selo com chave de ouro minha passagem no Sampaio e no futebol. Castelão lotado, jogo grande e ser aplaudido de pé. Isso foi muito bom. Pouca gente tem um momento como esse”, declarou.

Só que aquele acabaria não sendo o último jogo de Arlindo Maracanã. O capitão voltou a aparecer no banco de reservas para o segundo duelo da decisão do Campeonato Maranhense, realizado na última quarta-feira. De novo, não desfrutou da alegria que sonhou. A derrota por 2 a 1 deu o título ao Moto Club, após o empate por 1 a 1 na ida. Pior, o resultado ainda culminou na demissão do técnico Petkovic. Pois quem será que assumiria o Sampaio em um momento difícil desses? Obviamente, Arlindo Maracanã.

Como treinador interino, Maracanã dirigiu o Sampaio diante do Avaí. E não foi feliz na visita à Ressacada, superado por 2 a 0. A quarta derrota consecutiva manteve a Bolívia Querida na lanterna da Série B, necessitando de uma reviravolta urgente. A diretoria promete anunciar o novo treinador nos próximos dias. Para, enfim, Arlindo Maracanã dar continuidade a sua história no clube, em nova função: a de gerente de futebol. Ninguém conhece os bastidores do Sampaio Corrêa tão bem. Quem sabe, para dar continuidade à ascensão do clube nas divisões nacionais e recolocar os maranhenses na elite do Brasileirão pela primeira vez desde 1986. Tarimba não falta ao ídolo.

Série B

A segunda vítima

Além de Petkovic, a Série B já tem seu segundo técnico demitido. Bastaram duas derrotas para Léo Condé pegar o bilhete azul no Bragantino. Renomado após o trabalho com a Caldense em 2015, o treinador chegou a Bragança Paulista no início do ano, mas já havia frustrado a torcida ao não conseguir o acesso na segunda divisão do estadual, caindo diante do Batatais nas quartas de final. A gota d’água foi a derrota para o Luverdense por 1 a 0, na última terça. Curiosamente, Condé é o mais cotado para substituir Pet no Sampaio, pelo qual passou no último ano.

jroge

Dois líderes convictos

Se ninguém manteve os 100% de aproveitamento na Série A, dois times já somam seis pontos na B. O Vasco começa nadando de braçada, ainda que não tenha feito grande exibição neste final de semana. O time de Jorginho ampliou sua série invicta para 29 jogos, ao bater o Tupi por 1 a 0, gol de Luan. Dividindo o topo com os cariocas está o Atlético Goianiense. O Dragão somou sua segunda vitória simples, derrotando o Brasil de Pelotas em Goiânia graças ao gol solitário de Alison. Logo atrás, cinco equipes somam quatro pontos.

Vozão vem aí?

O grande resultado da rodada na Série B foi protagonizado pelo Ceará. Os alvinegros visitaram o CRB no Estádio Rei Pelé e arrancaram a vitória por 3 a 0. Não dá para dizer, no entanto, que foi um triunfo fácil. O Vozão viu o goleiro Éverson, essencial para evitar o rebaixamento em 2015, salvar várias chances criadas pelos alvirrubros. Já na segunda etapa, um gol contra de Diego Jussani abriu o caminho para os visitantes. Nos minutos finais, Ewerton Páscoa e Bill mataram a partida.

A redenção do ídolo

Prestes a completar 40 anos, o goleiro Marcos segue uma bandeira do Paraná. O veterano surgiu com a camisa tricolor e fez carreira em Portugal, antes de retornar à Vila Capanema em 2013. Desde então, se manteve como uma das grandes referências do elenco. Porém, a Série B não começou bem ao camisa 1, falhando na derrota para o Brasil de Pelotas na estreia. A volta por cima, ao menos, não demorou a vir. Marcos foi o melhor em campo no empate sem gols com o Bahia, acumulando grandes intervenções. Segue com a confiança da torcida paranista, especialmente após o ótimo desempenho que teve durante o Campeonato Paranaense.

Série C


América vence o primeiro clássico

O Grupo A da Terceirona promete. Cheio de clubes tradicionais, contou com o seu grande clássico logo na primeira rodada. E o América de Natal aproveitou a revanche diante do ABC na Arena das Dunas. Os alvirrubros não venciam os rivais havia quatro jogos, incluindo a acachapante goleada por 4 a 0 na decisão do Campeonato Potiguar. Entretanto, a renovação profunda realizada pelo técnico Sérgio China surtiu efeito sobre o América. Só dois jogadores permaneceram em relação ao time atropelado no estadual. E um deles foi justamente o herói da noite. O zagueiro Gustavo anotou o gol da vitória por 1 a 0, na qual o ABC precisou jogar com 10 homens desde os oito minutos, após a expulsão precoce de Gustavo Bastos. No segundo tempo, os alvinegros ainda pressionaram, mas pararam no goleiro Daniel.

Placar maldito

Dos nove jogos realizados até o momento pela rodada inicial da Série C, cinco terminaram com o mesmo resultado: empate por 1 a 1. Na longa lista entra a abertura, entre Cuiabá e Remo na Arena Pantanal. Destaque também para o duelo gaúcho entre Juventude e Ypiranga, além do embate entre Fortaleza e River no Castelão. No Grupo A, ainda com uma partida a se disputar, o único a vencer foi mesmo o América de Natal.

Pelo jeito, não vai ter milagre

A primeira goleada da Terceirona aconteceu em Campinas. O Guarani nem fez grande campanha na Série A-2 do Paulistão. Ainda assim, saiu-se bem melhor do que o Guaratinguetá, rebaixado à quarta divisão do estadual. E a Garça, que se safou da queda com uma arrancada milagrosa no final da Série C de 2015, volta como fortíssima candidata à degola. Recheada de garotos, a equipe acabou engolida pelo Bugre, 4 a 0 no placar. Leandro Amaro, Ferreira, Renato e Deivid anotaram os gols.

O rapa-bosta salvador

Quem também começou a campanha com o pé direito foi o Botafogo de Ribeirão Preto. Os tricolores penaram para bater o Mogi Mirim no Estádio Santa Cruz, mas buscaram o triunfo por 1 a 0 aos 47 do segundo tempo. O gol saiu graças ao camisa 10 Samuel Santos, que havia perdido chances incríveis ao longo da partida, mas se redimiu nos acréscimos. Na saída de campo, o atacante admitiu o gol meio sem querer: “Em nenhum momento eu desisti. Até o final eu busquei. Bati meio ‘rapa bosta’, mas foi suficiente. Imagina se eu bato no ângulo e ele faz um milagre?”. Quem também venceu no Grupo B foi o Macaé, virando contra a Portuguesa no Canindé por 2 a 1. O veterano Magnum marcou o tento decisivo.

Pelo Brasil

O Atlético Acreano volta ao topo após 25 anos

A espera foi longa para um dos clubes mais tradicionais do Acre. Mas o Atlético Acreano pôde finalmente soltar o grito de campeão estadual neste final de semana, reconquistando o troféu pela primeira vez desde 1991. O título já tinha se encaminhado no jogo de ida, após a vitória por 3 a 1 sobre o Rio Branco. E, neste sábado, ele foi coroado com o triunfo por 2 a 1 no Estádio Florestão. Diante do bom público, Polaco (com um golaço de voleio) e Renato comandaram a festa. Esta foi a sétima vez que o Galo Carijó ergueu a taça no Acre, o quarto maior campeão estadual. Já garantido na Série D e na Copa do Brasil, a equipe também participará da Copa Verde em 2017.

Na final

Outro estadual no Norte que chega aos seus últimos momentos é o Roraimense. Neste final de semana, São Raimundo e Náutico duelaram na Vila Olímpica Roberto Marinho, na decisão do segundo turno. E os alviazuis puderam erguer a taça, após o empate por 1 a 1 no tempo normal. Durante a disputa por pênaltis, Alan Caruaru carimbou o travessão, permitindo a Alex Góes determinar a vitória do São Raimundo por 5 a 4. O adversário na finalíssima será o Baré, em confronto marcado para o próximo sábado.

Mais um clássico em Bagé

O Ba-Gua já viveu momentos mais gloriosos. Independentemente disso, o grande clássico de Bagé chegou ao seu 421º episódio valendo bastante. Guarany e Bagé atravessam boa fase na terceira divisão do Campeonato Gaúcho, ocupando as primeiras posições. E no duelo deste final de semana estava em jogo a liderança. Melhor para o Guarany, que venceu por 1 a 0, seguindo no topo e se tornando o único invicto da competição. Cris Magno marcou o gol decisivo aos 37 do segundo tempo. Assim, os alvirrubros ampliaram a vantagem no histórico do clássico para 153 a 123.

Os novatos do Paranaense 2017

Neste final de semana, a segunda divisão do Campeonato Paranaense definiu as suas duas vagas de acesso. Depois de vencer o primeiro jogo por 2 a 0, o Cianorte só precisou empatar com a Portuguesa Londrinense por 1 a 1 para comemorar. Já o Prudentópolis sofreu diante do tradicional Grêmio Maringá. Os empates por 0 a 0 e 2 a 2 levaram a decisão para os pênaltis, com o Tigre prevalecendo por 5 a 4. O Cianorte não disputa a primeira divisão desde 2014, enquanto o Prudentópolis havia caído em 2015.

O que vale é o sarro

A disputa do Campeonato Paraibano de 2016 não se limitou aos gramados. O Treze tentou impugnar a participação do Campinense na fase final, afirmando que os rivais feriram o Profut. Contudo, os Raposeiros venceram nos tribunais em primeira instância e foram à forra neste final de semana, durante o primeiro confronto com o CSP, pela semifinal do estadual. Parte da torcida vestiu terno nas arquibancadas em Campina Grande, em referência ao imbróglio. E o Campinense compensou o apoio, batendo os oponentes por 1 a 0. Um empate no jogo de volta será o suficiente para colocar a equipe na decisão, contra o Botafogo.

O Tanque da Baixada

Pela quarta divisão do Campeonato Paulista, a Portuguesa Santista ganhou as manchetes. Afinal, a Briosa goleou o Atlético Mogi por 7 a 0 no Estádio Ulrico Mursa. O principal nome da noite foi Willian, autor de três gols. Mas o festival de bolas nas redes deu espaço até mesmo a Jean Chera, tentando reconstruir sua carreira na Baixada.

* Com o reinício das competições nacionais, voltaremos a publicar a coluna Lado B de Brasil semanalmente, todas as terças-feiras.

>>> Conheça o Trivela FC, o clube de relacionamento da Trivela. Você ganha benefícios e marca um gol pelo jornalismo

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo