Brasil

Brasil volta a jogar bem e vence Estados Unidos

Mano Menezes começou seu trabalho na Seleção Brasileira em grande estilo, assim como Neymar e Paulo Henrique Ganso. Nesta terça-feira, o Brasil derrotou os Estados Unidos por 2 a 0, no estádio New Meadowlands, em Nova Jersey. Com um futebol bonito, de toque de bola, a equipe teve uma atuação convincente, que superou a falta de entrosamento.

Os dois gols brasileiros foram marcados no primeiro tempo. Primeiro com Neymar, aos 27 minutos, escorando de cabeça um cruzamento perfeito de André Santos pela esquerda. E depois com Alexandre Pato, que recebeu lindo passe de Ramires e driblou o goleiro Howard para completar para o fundo das redes.

Com uma seleção mais entrosada, por ter tido a maioria de seus jogadores na Copa da África do Sul, os americanos partiram para cima nos minutos iniciais, o que assustou a seleção brasileira.

Mas com o passar dos minutos, o Brasil foi se encontrando no jogo, e as chances de gol começaram a aparecer.

A primeira boa jogada do ataque brasileiro surgiu aos 8 minutos. Daniel Alves encontrou Pato, que chutou cruzado, mas pegou mal na bola, que saiu à direita do gol de Howard.

A seleção passou então a pressionar mais, e chegava com muita velocidade pela direita, com Daniel Alves, e pela esquerda, com Neymar.

A jovem revelação santista se mostrou muito à vontade em campo, especialmente quando procurava por Pato dentro da área. Mas foi quando trocou de posição que Neymar brilhou pela primeira vez com a camisa da seleção.

Aos 27 minutos do primeiro tempo, Robinho caiu pela esquerda e encontrou André Santos. O lateral cruzou na medida para Neymar escorar de cabeça, sem chances para Howard.

O domínio brasileiro continuou e os comandados de Mano Menezes voltaram a balançar as redes apenas cinco minutos depois, desta vez com Alexandre Pato. Mas, com um bom atraso, a arbitragem anulou o gol alegando uma infração no lance, e frustrando o atacante do Milan, que já partia para o abraço.

A comemoração que ficou entalada na garganta aos 32 minutos veio completa aos 45. Ramires enfiou uma linda bola para Pato, que driblou Howard e tocou com carinho para o fundo das redes, aumentando a vantagem do Brasil antes do intervalo.

Ao contrário do que acontece normalmente em amistosos, quando o técnico opta por trocar vários jogadores no descanso, Mano decidiu manter na etapa final os 11 titulares que começaram a partida, e o resultado não podia ter sido melhor.

Logo no primeiro minuto, Alexandre Pato apareceu sozinho na cara do gol, mas acabou batendo para fora, assustando o goleiro Guzan, que havia entrado no lugar de Howard.

A supremacia brasileira em campo continuou, e aos 7 minutos surgiu mais uma linda jogada da seleção. Após cruzamento da direita, Pato tentou finalizar, mas acabou furando a bola. A sobra ficou com Robinho, que tocou com muito capricho, mas a bola beijou a trave esquerda de Guzan.

A única chance de perigo dos EUA saiu aos 11 minutos. Após cruzamento pela esquerda, Bradley surgiu livre na área para, de cabeça, escorar para o fundo do gol de Victor. Mas a arbitragem já havia anulado o lance, pegando o impedimento do jogador americano.

Já o Brasil continuou assustando, especialmente com Neymar, que na primeira parte do segundo tempo teve duas chances claras, mas que acabaram nas mãos de Guzan.

Finalmente, na segunda parte da etapa final, Mano optou por trocar algumas peças do time. Primeiro entrou Hernanes no lugar de Ramires. Depois foi a vez de André na vaga de Pato, e Neymar cedeu seu lugar a Ederson.

Mas o meia do Lyon não teve motivos para comemorar sua estreia. Com apenas 30 segundos em campo, Ederson tentou uma jogada individual e ficou sentindo em campo, o que forçou Mano a trocá-lo por Carlos Eduardo.

Com tantas substituições, a seleção diminuiu o ritmo de jogo, mas mesmo assim ainda continuou no domínio da partida. Aos 30 minutos, a seleção quase ampliou com Ganso, que acertou a trave de Guzan.

Sete minutos depois, e já com Diego Tardelli no lugar de Robinho, o Brasil teve mais uma chance clara de gol. Depois de troca de passes na área, a bola sobrou livre para Carlos Eduardo, que bateu rasteira, obrigando Guzan a realizar um milagre para desviar para escanteio.

Para justificar sua presença em campo, o goleiro Victor, que até então assistia à partida, salvou o Brasil de Mano de levar seu primeiro gol aos 40 minutos, aos desviar com a perna um tiro à queima-roupa de Gomez.

Depois disso, a seleção ainda desperdiçou algumas boas oportunidades de gol, e ao apito final, não restaram dúvidas de que, apesar de esse novo ciclo na seleção estar só começando, o futuro parece muito promissor para o melhor futebol do mundo.

Ficha técnica

Estados Unidos 0x2 Brasil

Local: Estádio New Meadowlands, em East Rutherfor (EUA)
Data: 10/ago, terça-feira
Árbitro: Silviu Petrescu (CAN)
Gols: Neymar aos 27'/1T e Alexandre Pato aos 45'/1T (Brasil)
Cartão amarelo: David Luiz (Brasil)

Estados Unidos
Tim Howard (Guzan), Jonathan Spector, Omar Gonzalez, Bocanegra (Goodson) e Bornstein; Bradley, Bedoya (Gomez), Feilhaber (Altidore), Donovan (Findley) e Mo Edu; Buddle (Kljestan). Técnico: Bob Bradley.

Brasil
Victor, Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e André Santos; Lucas, Ramires (Hernanes) e Ganso (Jucilei); Robinho (Diego Tardelli), Neymar (Ederson) e Pato (André). Técnico: Mano Menezes.

(Com informações da EFE)

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo