Sempre há aquela impressão de que os outros países sul-americanos são mais fanáticos por futebol que o Brasil. Pois temos mais um mecanismo para dizer que é, sim. Nesta quinta, foi divulgada uma pesquisa sobre as torcidas no Uruguai. O Peñarol ganhou do Nacional por 46% a 35%, o que não é uma grande surpresa. Mas a pesquisa também apontou: apenas 13% dos uruguaios (número que cai para 7% entre os homens) não torcem para time algum.

Considerando a margem de erro de qualquer pesquisa, a taxa de não-torcedores de futebol no Uruguai fica parelha com a de Argentina e Chile. Segundo uma pesquisa divulgada pela TV estatal argentina, cerca de 10% dos argentinos não se declaram torcedor de time algum. Entre os chilenos, o índice é de 12,1%.

E o Brasil? Bem, em 1993, uma pesquisa do Ibope apontou que 27% da população brasileira não torce para nenhum clube. Oito anos depois, a taxa caiu para 25%. Em 2013, segundo uma pesquisa da Pluri Consultoria, estaria em 21%. É um avanço, mas a média das pesquisas ainda fica perto do dobro de uruguaios, chilenos e argentinos. Pior, no Brasil, as pessoas que não torcem para clube algum são mais numerosas que as da equipe mais popular, o que não passa nem perto de ocorrer nos demais países mencionados aqui.

De qualquer modo, os números sul-americanos ainda são altos em comparação com a Europa. Não há tantas pesquisas desse tipo por lá, mas a Lega Calcio fez uma na Itália, e apenas 4,7% dos entrevistados não seguiam nenhuma equipe.