A Bósnia negou mais uma vez a mudança no sistema de gestão da federação bósnia de futebol, exigida pela Fifa e Uefa, e entra em rota de colisão com os órgãos que regem o futebol mundial e europeu, respectivamente.

As duas entidades exigem que o sistema que elege representantes das etinias do país seja substituído por um único presidente, como acontece nos outros países. São três presidentes,que represnetam as etnias dentro da Bósnia.

“Impor um único presidente nunca será aceito por qualquer estrutura na República Srpska”, disse Rajko Vasic, secretário executivo da União Independente Social Democrata.

A federação do país, NSBIH, se recusou a fazer a mudança no seu estatuto para a eleição de um presidente e a Fifa e a Uefa deram prazo até março de 2011 para que a entidade acate a ordem.

A NSBIH é alvo de críticas de torcida e jogadores, com a possibilidade de recusa de alguns dos atletas da seleção nacional em representar o país por causa dos problemas políticos na entidade.