Parecia que ele conseguiria de novo. Pelo primeiro tempo de Borussia Dortmund e Internazionale, a impressão era de que Antonio Conte mais uma vez venceria os aurinegros na Champions League, reiterando ainda mais seu bom começo na Inter. O jogo inteligente interista no primeiro tempo, no entanto, foi substituído pela atuação cheia de energia do Dortmund na segunda etapa, capaz de reverter uma derrota por 2 a 0 e buscar a virada por 3 a 2 no Signal Iduna Park.

A Inter abdicou da posse de bola no duelo e tentou apostar na eficácia de suas jogadas. Deu muito certo no primeiro tempo. Não demorou para que os italianos abrissem o placar. Aos 5 minutos de jogo, após lançamento longo da zaga, Lautaro Martínez aproveitou erro de Akanji, disputou na corrida com Hummels, driblou Weigl e bateu na saída de Bürki para fazer 1 a 0.

O Dortmund manteve a posse da bola e a impressão de que controlava o tempo do jogo, mas a Inter seguiu jogando tranquila e levando mais perigo quando ia ao ataque. Logo, aos 40 minutos, veio o segundo gol, ainda mais bonito que o primeiro.

No meio de campo, Brozovic driblou dois adversários e soltou a bola para Lautaro. O argentino inverteu a jogada com precisão para Candreva, que viu a chegada de Vecino pelo meio. Depois do toque rasteiro, o uruguaio chegou batendo para ampliar o placar.

Os aurinegros demoraram a acordar, mas começaram a dar demonstrações da reação que viria no segundo tempo ainda no fim da primeira etapa. Criou suas melhores chances depois do 2 a 0, notavelmente com Jadon Sancho, completando cruzamento de Schulz e forçando boa defesa de Handanovic aos 45 minutos.

Outra boa notícia do primeiro tempo alemão que daria indício da história ainda a ser escrita foi a atuação de Hakimi. O lateral marroquino infernizou a vida dos italianos pela direita, rendendo cartões amarelos a Biraghi e Skriniar e concentrando maioria das criações de jogada do time de Lucien Favre em seu lado. No segundo tempo, foi hora de consolidar isso.

Logo aos seis minutos da etapa final, Hakimi trocou de papel com Götze, recebeu cruzamento rasteiro e, dentro da área, bateu para diminuir para os donos da casa.

A energia do Dortmund na segunda etapa era tamanha que, com 15 minutos de segundo tempo, a equipe já havia igualado as chances que criara na primeira etapa: seis. Aqui, no entanto, a intensidade e o perigo eram maiores, e era questão de tempo para a Inter ruir diante da pressão.

Julian Brandt, apagado no primeiro tempo, passou a aparecer mais para o jogo. Paco Alcácer, reserva, entrou aos 18 minutos da segunda etapa, no lugar de Mario Götze. Juntos protagonizariam o lance do empate.

Em cobrança de lateral na defesa, a Inter desligou, e Alcácer, em seu primeiro toque no jogo, segundos após sua entrada, se antecipou a Brozovic, já tocando para Brandt. O meia então conduziu a bola em diagonal e bateu cruzado para fazer 2 a 2.

Biraghi, incapaz de lidar com as subidas de Hakimi, deixou o gramado para a entrada de Valentino Lazaro, que inverteu de lado com Candreva. Foi a vez deste então levar um baile do lado direito do ataque aurinegro. Pouco tempo depois, não ajudou a Inter que Politano, última substituição de Conte, tenha se machucado instantes após entrar em campo e deixado os italianos com 10.

Aos 32 minutos, o golpe final: Hakimi tabelou com Jadon Sancho e, antes de receber de volta, arrancou com potência em diagonal. A devolução veio com perfeição, e o lateral chutou na saída de Handanovic para decretar a virada, o seu segundo gol na partida: 3 a 2.

Classificações Sofascore Resultados

Combalida e desfalcada, a Inter não conseguiu responder, enquanto o Dortmund renovou suas pontas (e sua defesa) com as entradas de Guerreiro e Piszczek.

Depois do tropeço do líder da chave, Barcelona, contra o Slavia Praga em pleno Camp Nou, Dortmund e Inter entraram em campo com uma boa oportunidade de se reaproximarem dos catalães. Os nerazzurri pareciam melhor preparados para diminuir a diferença para um ponto, mas o poder de reação do time de Lucien Favre por fim prevaleceu, e foram os alemães que fizeram o serviço para chegar a sete pontos.

Na próxima rodada, a quinta, a esperança da Inter para chegar viva ao último jogo é que o Dortmund perca para o Barça no Camp Nou e que ela, Inter, supere um chato adversário no Slavia Praga, que segurou empate e merecia até vitória quando visitou o time em Milão, na abertura da Champions League.

Ao Dortmund, o empate dos catalães nesta terça-feira é o incentivo necessário para a equipe ter a crença de que pode arrancar um resultado positivo contra Messi e companhia mesmo fora de casa.