Miguel Borja compensa cada centavo que o Atlético Nacional investiu em sua contratação. O atacante de 23 anos já tinha desempenhado papel fundamental na conquista da Copa Libertadores, arrebentando nas semifinais contra o São Paulo e anotando o tento decisivo na final contra o Independiente del Valle. Pois o novato permanece voando na Copa Sul-Americana. Após anotar gols importantes contra o Bolívar, ele simplesmente destroçou o Coritiba nesta quarta-feira. O Coxa ia arrancando uma heroica classificação em Medellín, até Borja aparecer no segundo tempo: marcou três gols, incluindo uma pintura de voleio, e colocou os verdolagas nas semifinais com a virada por 3 a 1. Os colombianos pegarão o Cerro Porteño na próxima etapa.

VEJA TAMBÉM: Borja chegou com dura missão, mas logo se provou um grande reforço para a Libertadores

No jogo de ida, Borja já havia deixado sua marca no empate por 1 a 1 no Couto Pereira. No entanto, se os paranaenses já comemoraram bastante o belo gol de Iago na ocasião, desta vez eles vibraram ainda mais com a cobrança de falta perfeita de César González. O venezuelano botou a bola no ângulo de Armani e dava a vitória parcial ao Coxa, aos 44 do primeiro tempo. Só que o Atlético Nacional viria com tudo após o intervalo. Borja viria com tudo. Diante da enorme pressão, o empate saiu aos sete minutos, em tiro certeiro de fora da área do atacante. A virada aconteceu logo na sequência, em magistral voleio após cobrança de escanteio. E o golpe fatal seria dado em cobrança de pênalti, com o camisa 9 completando a sua tripleta.

Desde julho, quando chegou, Borja soma 11 gols em 11 partidas de competições continentais pelo Atlético Nacional – oito deles contra equipes brasileiras, o São Paulo e o Coritiba. O desempenho do centroavante com a camisa verdolaga, aliás, é excelente nos mata-matas: somando a Copa da Colômbia, são 16 tentos em 16 aparições, contra apenas uma bola nas redes em seis partidas pelo Colombiano. Vale lembrar, todavia, que o jovem chegou a Medellín graças ao seu desempenho no campeonato nacional anterior, artilheiro pelo Cortuluá com 19 gols.

Por aquilo que vem fazendo pelo Atlético Nacional, é de se imaginar que Borja alce voos mais altos em breve. E terá uma enorme vitrine em dezembro, com o Mundial de Clubes. Se é tão ‘copero’ assim, não deverá desperdiçar a chance. Até lá, continua disputando concomitantemente a Copa Sul-Americana. Poderá ajudar os verdolagas faturarem a inédita dobradinha continental no mesmo ano – algo que o River Plate conseguiu na ordem inversa, entre 2014 e 2015. Feito considerável, que terá a clara importância do artilheiro se acontecer.