Renato Gaúcho e Jorge Jesus têm algo em comum, além de estarem na semifinal da Libertadores, que começa na noite desta quarta-feira: não costumam segurar a língua. Tão bons com as palavras quanto com as pranchetas, suas entrevistas costumam ser interessantes e, por isso, vale a pena dar uma olhada no que disseram ao longo dos últimos dias sobre o jogaço de Porto Alegre, às 21h30 (Brasília).

A parte de Renato Gaúcho você já deve ter visto por aí. Ele deu algumas cutucadas em Jesus, pelo fato de o português nunca ter tido sucesso fora de Portugal, e jogou todo o favoritismo para cima do Flamengo, citando bastante a questão financeira. Surpreendentemente, Jesus não quis entrar na troca de farpas e admitiu que o Grêmio é um dos poucos times capazes de colocarem o seu em apuros.

Renato Gaúcho

Renato Gáucho com seus jogadores (Foto: Getty Images)

“O que Sampaoli e Jesus ganharam? Estão fazendo ótimo trabalho, mas trabalho no futebol é resultado. Ele está com 65 anos, treinou apenas clubes em Portugal, e a pergunta que eu faço, já que os treinadores brasileiros estão ultrapassados, por que ele não saiu de Portugal e treinou outro grande clube da Europa?” (Globo

“É obrigação do Flamengo jogar o melhor futebol. Ele tem o jogador que quiser. O Grêmio gastou R$ 7 milhões, R$ 8 milhões, em contratações. O Flamengo gastou quase R$ 200 milhões. Se me derem quase R$ 200 milhões, eu também monto uma seleção e terei a obrigação de jogar o melhor futebol do Brasil e terei a obrigação de ganhar os títulos. Flamengo é favorito? Sim. O Flamengo vai passar pelo Grêmio? Aí eu não sei  (Globo

“As pessoas estão dizendo que falei que ele é velho e ganhou poucos títulos. Todo mundo sempre leva para outro lado. Ele treinou em Portugal e depois na Arabia. Não menosprezo a idade dele. O que quis dizer é que estou surpreso por ele não ter ganho mais coisas com o trabalho que ele está mostrando no Flamengo. Não é a idade. O trabalho no Flamengo é excelente, mas ele tem dois ou três títulos na carreira.” (UOL)

“Se pegar a Seleção e fizer amistoso com o Flamengo, é jogo duro. Por isso tem que dar os parabéns para o Flamengo, gastaram e montaram um grande elenco, para chegar. Mas hoje está em uma semifinal de Libertadores, com o Grêmio, e o Grêmio não gastou nada. Simplesmente descobriu talentos aqui dentro. Estamos de parabéns, estamos justamente onde o Flamengo se encontra, nossa terceira semifinal em três anos, e praticamente sem gastar”. 

“Para falar a verdade, não cheguei a trabalhar com um jogador que eu não tenha conseguido recuperar. Joguei com os melhores do Brasil, trabalhei com uma porrada de treinadores, aprendi muito. Recuperar um jogador para mim é como tomar chope” (UOL

Vou fazer de tudo para que o Grêmio passe, mas se não passar, vou ser torcedor do Flamengo. Ainda mais contra argentino”

Jorge Jesus

Jorge Jesus, do Flamengo (Foto: Getty Images)

“Vai ser disputado, como é óbvio. Nada vai ser resolvido em Porto Alegre aconteça o que acontecer. Vai ser muito competitivo, com ritmo alto. Essa, sim, é uma equipe que vai disputar o jogo conosco e algumas vezes nos colocar nas cordas. Mas estamos preparados para isso. Estamos conscientes para atacar e defender quando necessário. Vai ser um grande jogo e espero que o Flamengo esteja em um nível alto para competir e dar a resposta.”

 É um colega de profissão e estou aqui para falar sobre futebol. Na quarta, vou falar do jogo com o Grêmio. Mais do que isso, não vou falar. Apenas de que o Renato tem mais conhecimento do futebol brasileiro do que eu, já ganhou a Libertadores”

“O Grêmio vai poupar jogadores, não faremos isso, mas vamos para frente. Acreditamos muito no que a equipe é capaz de fazer. Nossos atletas não estão dando sinais de fadiga. Tive a oportunidade de poupar alguns jogadores no jogo de hoje (contra o Inter, semana passada). Não vou poupar ninguém por causa do jogo do Grêmio. Quem tiver condição, vai jogar”. 

“O fato de Rafinha, Gerson e Filipe não jogarem (contra o São Paulo)? Vocês estão habituados aos times da Libertadores colocarem todos reservas. Por que não posso colocar três? Não entendo essa admiração”.