Bomba no ângulo, gol de letra, assistência de calcanhar: Por 18 minutos, Benedetto virou Pelé

Atacante do Boca Juniors brilhou muito na goleada sobre o Quilmes, com três gols, sendo duas pinturas, e uma assistência magistral

Dario Benedetto chegou ao Boca Juniors como esperança de gols para a reta final da Libertadores, mas não vinha justificando a aposta. Em suas seis primeiras partidas com a camisa xeneize, atacante só havia balançado as redes uma vez, pela Copa Argentina. Passou em branco em ambos os encontros com o Independiente del Valle, que valeram a eliminação do Boca, além de atravessar as três primeiras rodadas do Campeonato Argentino em jejum. Neste domingo, antes do duelo contra o Quilmes, Benedetto recebeu um trevo de quatro folhas de uma torcedora. Fez efeito: o artilheiro teve uma atuação espetacular na Bombonera. Participou de todos os tentos na goleada por 4 a 1: balançou as redes três vezes, sendo duas pinturas, e ainda deu uma assistência de calcanhar.

O mais impressionante é que o show de Benedetto aconteceu em um intervalo de apenas 18 minutos. O primeiro gol saiu aos sete, em belíssimo toque de letra. O Quilmes empatou na sequência, mas o atacante respondeu da melhor maneira possível, com um chutaço de fora da área, sem qualquer chance para o goleiro adversário. O terceiro saiu dos pés de Ricardo Centurión, servido por um passe de calcanhar de Benedetto. E o grand finale contou com uma cabeçada certeira, após boa jogada de Cristian Pavón.

O trevo de quatro folhas, que esteve dentro da chuteira, não deve desgrudar mais dos pés de Benedetto. O atacante, entretanto, está acostumado a oscilar entre jogos em branco e partidas fantásticas, como era desde sua passagem pelo América do México. Os xeneizes esperam só que a boa fase não termine tão cedo. Em quatro rodadas, o Boca soma sete pontos no Campeonato Argentino.