O mercado de transferências na Inglaterra parecia correr para um final tranqüilo. Os grandes times mostravam-se satisfeitos com seus elencos, e as únicas transações que aconteciam eram de jogadores de nível médio, em equipes de segundo escalão.

No entanto, isso deve mudar nesta semana. O Manchester United parece ter se dado conta de que precisa de mais um bom atacante para ‘fechar’ o elenco. E atacantes, como se sabe, não são baratos. Ou seja, ainda devemos ter pela frente uma última grande contratação neste mês de agosto.

Pode parecer absurdo um time que tem Rooney e Tevez na frente dizer que precisa de mais atacantes. Mas não é. O problema é que faltam opções para Alex Ferguson: Rooney deve ficar três meses fora dos gramados. Saha passa mais tempo no departamento médico do que jogando. Solskjaer cansou-se das contusões (jogou só 56 vezes nas últimas quatro temporadas) e se aposentou. Alan Smith, que poderia atuar na frente, foi vendido. Ou seja, hoje, Ferguson só tem à disposição Carlos Tevez e os novatos Dong Fangzhou e Frazier Campbell.

Com as ambições que tem, o United não pode simplesmente comprar um jogador qualquer, para fazer número. É preciso alguém que esteja no nível dos atuais titulares, ou que, no mínimo, tenha uma qualidade equivalente à de Solskjaer e Saha. Quem estaria disponível no mercado com esse perfil?

Segundo os boatos, o alvo principal dos Reds Devils seria Dimitar Berbatov, do Tottenham. O problema é que o búlgaro não está à venda. Para os Spurs, desfazer-se desse jogador seria o equivalente a abrir mão de ficar entre os quatro primeiros nesta temporada. Ou seja, para ele sair, seria preciso uma oferta irrecusável (mesmo com os supostos desentendimentos do atacante com o técnico Martin Jol). O Manchester já teria oferecido € 32 milhões por Berbatov, mas o valor ainda está longe de ser suficiente para o Tottenham.

Berbatov seria uma excelente compra para o United, pois faria uma dupla equilibrada com Rooney ou Tevez, já que tem características complementares às dos dois. Ou seja, seria um reforço caríssimo, mas capaz de ser titular mesmo quando todos os outros estiverem disponíveis.

Hoje, no entanto, não parece provável que os Red Devils consigam trazer Berbatov. Aí, a alternativa seria buscar opções mais modestas. Um dos favoritos, nesse caso, seria Nicholas Anelka, que custaria ‘só’ € 15 milhões. O francês, no entanto, tem dois problemas: primeiro, é pretendido também por Portsmouth e Manchester City, o que pode inflacionar seu preço. Em segundo lugar, poderia causar sérios problemas internos, uma vez que Rooney volte de contusão – afinal, Anelka está longe de ser um jogador que aceita ficar na reserva numa boa.

Outro nome possível seria Michael Owen. Em termos de qualidade, o atacante do Newcastle mais que atende a todos os requisitos. No entanto, não parece boa idéia trazer, para cobrir problemas com contusões, um jogador que é notoriamente problemático nesse departamento. Baixando um pouco o nível, poderiam ser alvos do United Obafemi Martins ou Jermaine Defoe.

Existe, claro, a possibilidade de o Manchester não contratar ninguém. Segundo alguns jornalistas ingleses, Ferguson não estaria convencido de que algum dos jogadores citados realmente poderia adicionar algo ao time – ainda mais considerando que todos são razoavelmente caros. Nesse caso, o United corre sério risco de sofrer com o mesmo problema de 2006/7: cansaço excessivo de alguns jogadores no final da temporada.

Venha ou não o reforço, uma coisa parece garantida: pelo menos no campo das especulações, a última semana da janela de transferências na Inglaterra vai ser agitada.

CURTAS

– Levou só dois jogos para a Inglaterra ser derrotada pela primeira vez no novo Wembley.

– O algoz, de maneira nada surpreendente, foi a Alemanha, que infligiu aos ingleses um 2 a 1, de virada.

– No jogo, Paul Robinson falhou feio em um dos gols, e o técnico Steve McClaren já não o garante mais como titular.

– Isso dá calafrios nos ingleses, dado que a opção a Robinson ainda é David ‘Calamity’ James.

– Com quatro rodadas disputadas, o Fulham destaca-se com uma curiosidade.

– Em todas as partidas da equipe, o time que abriu o placar acabou derrotado.

– Para tristeza da torcida, os Cottagers marcaram primeiro em três dos quatro jogos, o que os coloca na penúltima posição, com apenas três pontos ganhos.