Foram 36 anos de espera até o Peru voltar à Copa do Mundo e o resultado acabou não sendo o que se esperava. A derrota por 1 a 0 para a Dinamarca no primeiro jogo do time na Copa, em Saransk, é só o primeiro jogo, mas a frustração vem pelo futebol que o time apresentou. Eram 15 jogos de invencibilidade e um bom futebol jogado pelo time sul-americano, que também enfrentava um rival que não perdia pelos mesmos 15 jogos. O bom futebol jogado é um alento, mas será preciso ir além disso contra França e Austrália para conseguir resultados e vencer. Para a Dinamarca, um bom início em um jogo que o time nem teve um desempenho dos mais notáveis, mas conseguiu controlar a temperatura do jogo.

LEIA TAMBÉM: Parede viking da Islândia parou a Argentina e até pênalti de Messi

Domínio inicial peruano

Aos 12 minutos, Carrillo fez uma bela jogada pela direita, driblou para o meio e finalizou de pé esquerdo, no canto. Defesa do goleiro Schmeichel. Foi a tônica dos primeiros minutos de jogo, com o Peru iniciando melhor. Os comandados de Ricardo Gareca entraram em campo com muita energia e pareceram surpreender a Dinamarca.

Demorou um tempo para a Dinamarca equilibrar o jogo, mas da metade do primeiro tempo em diante, a empolgação peruana arrefeceu, os dinamarqueses passaram a trabalhar melhor a bola. Nenhum dos dois times criava chances, porém. Aos poucos, o jogo ficou mais lento, apesar do Peru ter sido melhor em boa parte do primeiro tempo.

VAR, decisivo

O árbitro de vídeo voltou a aparecer, depois do jogo da França. Aos 45 minutos do primeiro tempo, Cueva recebeu dentro da área e tocou o rapa. Pênalti, mas o juiz não marcou. A marcação só veio com o VAR, depois que o árbitro foi por si só revisar o lance. Cueva, então, foi para a cobrança, mas chutou por cima do gol. Seguia o zero a zero.

Bagunça na defesa peruana

Aos 14 minutos do segundo tempo, a Dinamarca conseguiu abrir o placar em um lance de contra-ataque. Mas não foi nem um lance tão rápido. Sisto achou Eriksen, que conduziu a bola pelo meio, em uma bagunçada defesa do Peru, e tocou para Poulsen, que dominou e finalizou na saída do goleiro: 1 a 0.

Reação do peru

Com o gol sofrido, o Peru se colocou ainda mais no ataque. Com Guerrero, o time se tornou perigoso e o camisa 9 conseguiu ser perigoso já no seu primeiro lance, em uma bola de cabeça. Ele quase marcou em um calcanhar, o que seria um golaço. Farfán também teve a sua chance, novamente para defesa do goleiro Schmeichel. Foram muitas chances de gol para os sul-americanos.

Apesar da pressão nos minutos finais, o Peru não conseguiu o gol e deixa o gramado sabendo que além de jogar bem, precisa marcar gols para não ser punido como foi.

Chances dinamarquesas

Com o Peru no ataque, a Dinamarca teve duas boas chances para marcar e, assim, ampliar a sua vantagem. Eriksen teve a chance de matar o jogo aos 40 minutos. Ele recebeu no lado esquerdo, chutou forte, mas o goleiro Gallese defendeu com o peito.

Próximos jogos

O Peru volta a campo na quinta, dia 21, às 12h, na Arena de Ecaterimburgo. Já a Dinamarca enfrenta a Austrália no memso dia, mas às 9h, na Arena Samara.

FICHA TÉCNICA

Peru 0x1 Dinamarca

Estádio: Arena da Mordóvia, em Saranks (RUS)
Árbitro: Baraky Gassama (GAM)
Gols: Yussuf Pulsen aos 14’/2T (Dinamarca)
Cartões amarelos: Tapia (Peru)
Cartões vermelhos: nenhum

Peru

Pedro Gallese; Luis Advíncula, Christian Ramos, Alberto Rodríguez e Miguel Trauco; Renato Tapia (Pedro Aquino aos 42’/2T) e Yoshimar Yotún; André Carrillo, Edison Flores (Paolo Guerrero aos 18’/2T) e Christian Cueva; Jefferson Farfán (Raúl Ruidiaz aos 40’/2T). Técnico: Ricardo Gareca

Dinamarca

Kasper Schmeichel; Henrik Dalsgaard, Simon Kjaer, Andreas Christensen (Zanka aos 36’/2T) e Jens Larsen; William Kvist e Thomas Delaney; Yussuf Poulsen, Christian Eriksen e Pione Sisto (Martin Braithwaite aos 22’/2T); Nicolai Jorgensen. Técnico: Age Hareide