O verde se espalhou pela América do Sul durante o final de semana. Vários foram os clubes que homenagearam a Chapecoense quebrando o protocolo e adotando a cor em seus uniformes. Peñarol e River Plate ganharam bastante repercussão, com seus jogadores de linha vestindo modelos de goleiros. No Peru, o Sporting Cristal fez parecido, com uma camisa em verde escuro. No entanto, alguns times foram além. Reproduziram o próprio desenho da Chape, com uma faixa mais clara no meio do peito. Maneira de demonstrar solidariedade com o máximo de fidelidade.

O exemplo mais bacana foi dado pelo Bolívar. O clube jogou de verde, na goleada por 4 a 1 sobre o Nacional de Potosí, mas fará mais. Os bolivianos venderão a camisa em edição limitada. Serão 500 unidades e o dinheiro arrecadado será revertido à Chapecoense. Através do espanhol Juanmi Callejón, os celestes anunciaram sua belíssima ação.

Outros pequeninos do continente fizeram parecido. O Deportivo Capiatá teve sua versão da camisa da Chapecoense no Campeonato Paraguaio, empatando com o Sportivo Luqueño por 1 a 1. Já no Uruguai, a “Chape” encarou o Nacional. Foi o Juventud las Piedras quem prestou tributo, perdendo por 2 a 0 para o Bolso. E se o San Lorenzo entrou em campo com os uniformes trocados nas semifinais da Copa Sul-Americana, os vencedores dos dois turnos do Campeonato Venezuelano homenagearam da mesma forma. Tanto Zamora quanto Zulia botaram a camisa do Verdão antes da Grande Final Absoluta. O Zamora venceu o jogo de ida por 2 a 1.