O Boca Juniors suou bastante, mas conseguiu derrotar a Unión Española, saindo em vantagem no confronto pelas oitavas de final da Copa Libertadores. Mesmo jogando em La Bombonera, os xeneizes viram os diablos rojos equilibrarem a partida e somente aos 44 minutos do segundo tempo é que garantiram o triunfo por 2 a 1. Agora os portenhos levam para Santiago a vantagem do empate, em jogo de volta marcado para a próxima quarta-feira.

O equilíbrio na partida foi visto desde o primeiro tempo, com as duas equipes criando chances de gol. O Boca ameaçou primeiro aos 14 minutos, em chute de longe de Juan Román Riquelme que o goleiro Eduardo Lobos espalmou. Pouco depois, seria a vez de o goleiro parar a finalizar de Santiago Silva. E, do outro lado, Agustín Orión também trabalharia duro, defendendo cabeçada de Emanuel Herrera.

Os xeneizes inauguraram o marcador aos 24 minutos do primeiro tempo. Riquelme arriscou chute de fora da área e pegou mal na bola. No entanto, Dario Cvitanich acabaria devolvendo para o camisa 10, que desta vez não falhou: seu chute cruzado morreu no canto, longe do alcance de Lobos. Depois do tento, a Unión apresentava mais volume de jogo, embora seu goleiro tenha realizado outra boa defesa antes do intervalo, agora em tentativa de Walter Erviti.

Em um segundo tempo bem menos movimentado, o Boca começou pressionando, mas logo deu brechas para que os diablos rojos saíssem para o jogo . E o empate acabou saindo aos 27 minutos, após erro da defesa argentina. A bola sobrou para Sebastian Jaime, de frente para o gol, que tocou na saída de Orión.

Só depois do gol sofrido é que os xeneizes acordaram em busca do resultado. Erviti chegou a carimbar a trave aos 29, após boa jogada individual. O tento da vitória, contudo, no minuto final da partida. Pablo Mouche fez boa jogada pelo lado esquerdo e cruzou na medida para Santiago Silva completar de cabeça. Nos acréscimos, ainda houve tempo para que Diego Scotti fosse expulso, após falta desleal em Riquelme.