A eliminação do Boca Juniors da Copa Libertadores pela confusão no jogo de volta das oitavas de final contra o River Plate, no estádio da Bombonera, causou prejuízos ao clube. Os Xeneizes irão processar 17 torcedores que participaram do incidente e processá-los, pedindo uma indenização de 70 milhões de pesos (R$ 24 milhões).

VEJA TAMBÉM:
– Dificilmente as autoridades farão algo contra a torcida do Boca. Entenda por que
– A Libertadores não pode mais ser refém da incompetência generalizada
– O verdadeiro sabor da laranja

O uso de gás de pimenta, supostamente atirado no gramado por torcedores do Boca, levou o jogo a ser interrompido e, posteriormente, suspenso. Jogadores do River Plate foram atingidos e tiveram que ser atendidos no gramado. Alguns foram levados a hospitais depois do jogo. Além de ter sido eliminado da competição, o Boca Juniors ainda foi multado em US$ 200 mil (R$ 617,5 mil) e jogará os próximos quatro jogos na Bombonera com portões fechados e não poderá ter torcida visitante nos próximos quatro jogos que atuar fora.

A informação do site argentino Canchallena é que o Boca Juniors identificou 11 torcedores pelas agressões aos jogadores do River Plate e abrirá processo para expulsá-los do quadro de sócios. Um torcedor do time, Adrán “Panadero” Napolitano, se apresentou à polícia, mas não fez qualquer declaração. Ele é um dos acusados de ter participado do incidente no jogo contra o River Plate e é um dos torcedores mais procurados do Boca por participação em outros problemas em estádios. Outros torcedores do Boca também foram chamados pela política: Gustavo Florentín, Diego Biglia e Federico Blanco. Todos foram identificados pelas imagens da TV.

É difícil saber onde isso vai dar, mas o Boca Juniors pode e deve correr atrás dos seus direitos se acha que deve. Mas é preciso que o clube tome ações mais efetivas contra as ações violentas da torcida. Como nós somos desconfiados, esperamos para ver o que vai acontecer. Por hora, esta ação do Boca merece os elogios.