Zvonimir Boban é um nome que remete a um Milan de glórias. O ex-jogador, de 50 anos, marcou época com a camisa rossonera. Esteve no clube de 1991 a 2001, um dos períodos em que a equipe de Milão era uma das mais badaladas do mundo. Empilhou taças, com quatro conquistas da Serie A, três Supercopas Italianas, uma Champions League e uma Supercopa da Uefa. Retornou ao clube como dirigente nesta janela de transferências e deu entrevista falando sobre a última contratação, Ante Rebic, e sobre a ambição do clube.

“A janela de transferências foi dura, mesmo que tenha sido um pouco divertida”, disse Boba à Sky Sports Italia. “Ela estressa times e técnico, além do mais a temporada já começou. Causou um pouco de bagunça, mas é sempre o caso na Itália”, disse o ex-jogador e ídolo do clube, que também defendeu a Iugoslávia no fim dos anos 1980 e a Croácia a partir de 1992, quando o país se tornou independente. E é da croácia que veio uma das principais contratações do clube na janela, se não a principal.

O Milan conseguiu a contratação de Ante Rebic no último dia da janela de transferência. O atacante croata, de 25 anos, chega por empréstimo de dois anos do Eintracht Frankfurt. Tem contrato até junho de 2021. “Rebic é um jogador com força e personalidade. Ele pode jogar em diferentes posições e ele mostrou que pode jogar em grandes níveis”, disse Boban.

“Ele pode jogar como ponta, segundo atacante, entre dois atacantes e até como um centroavante que se movimenta. Ele pode ser usado em diferentes papeis. Ele é um cara sincero que melhorou muito tecnicamente. Ele sempre foi forte, rápido e um bom chutador, mas ele fez muito progresso”, continuou o dirigente.

“A estratégia do clube é investir em jovens jogadores, mas é preciso ter jogadores com experiência e força, alguns dos quais nós já temos no elenco. Nós temos uma boa mistura. Talvez pudesse ser melhor se tivéssemos alguns jogadores mais velhos, mas esse time vai melhorar”, declarou ainda Boban.

“O Milan irá crescer e voltar onde deveria estar, mas é um processo. O Milan é um grande clube que não pode aceitar ficar no meio da tabela. Nós temos que ter ambição, mas nós também precisamos de tempo”, afirmou o croata.

Boban foi perguntado sobre tentativas fracassadas de contratação do Milan nesta janela, como Luka Modric e Angel Correa. “Modric é um verdadeiro ‘milanista’. Ele tem sido um desde que era pequeno e teve muita paixão para vir aqui, mas nunca foi algo sério. Ele não queria sair do Real Madrid depois de uma temporada ruim”, explicou.

“Sobre Correa, nós não pudemos chegar a um acordo econômico, e tudo bem. Também houve outros jogadores que não conseguimos contratar. Quem sabe se não foi uma coisa boa? Nós temos um elenco bom, nós fizemos boas contratações e o tempo dirá se nós fizemos bem ou mal”, finalizou.

O mercado do Milan teve a contratação de Rafael Leão, do Lille, por € 25 milhões; Theo Hernández veio do Real Madrid por € 20 milhões; Ismaël Bennacer, que veio do Empoli por € 16 milhões; Léo Duarte, zagueiro que chegou do Flamengo por € 11 milhões; além de Rade Krunic, bósnio de 25 anos que também veio do Empoli por € 8 milhões. Isso, claro, além do último contratado, Ante Rebic, e do técnico, Marco Giampaolo, que vem de bom trabalho na Sampdoria.