Zvonimir Boban desfilou o seu talento durante 15 anos, entre a metade da década de oitenta e a totalidade da seguinte. Por ter nascido em Imotski, no sul da Croácia, isso significou que pegou o processo de dissolução da Iugoslávia e acabou representando duas pátrias: a iugoslava e a croata.

O começo da carreira de Boban foi com o Dínamo Zagreb. No entanto, a força do Estrela Vermelha, da Sérvia, naquele período, fez com que ele não conquistasse nenhum título na sua terra natal. Foi justamente em um jogo contra essa equipe que, durante uma briga entre torcedores croatas e sérvios, Boban se notabilizou por uma voadora em um policial que tentava conter seus conterrâneos e, por isso, ficou fora da Copa do Mundo de 1990. Por outro lado, virou herói nacional em um dos episódios que colocou combustível na independência da Croácia.


Não deu na Copa do Mundo, mas foi na Itália onde Boban alcançou notoriedade mundial. Chegou ao Milan, em 1991, para conquistar quatro vezes o Campeonato Italiano e uma Champions League, em mais de 250 partidas. E, em 1998, colocou seu nome na história, conduzindo a Croácia ao terceiro lugar da Copa do Mundo.

Nesta segunda-feira, Boban completa 50 anos, o que nos dá uma ótima oportunidade para nos lembrarmos de todo o seu talento.

.

.