O concorrente de Joseph Blatter na eleição à presidência da FIfa, Mohammed Bin Hamman, anunciou na noite deste sábado que desistiu da candidatura, depois de uma série de alegações de corrupção.

Tanto Bin Hammmam quando Blatter teriam que responder alegações envolvendo corrupção no comitê de ética da Fifa. O catariano se disse “magoado e decepcionado” e que não queria ver o nome da Fifa “afundar na lama”.

“Me entristece que lutar pelas causas que eu acredito tenha custado um preço alto: a degradação da reputação da Fifa”, disse o dirigente asiático, de 61 anos.

Bin Hammmam é acusado de oferecer cerca de € 28 mil a cada federação da COncacaf, em reunião que o dirigente da AFC (Confederação de Futebol da Ásia) se reuniu com federações da Concacaf junto com o presidente Jack Warner.

O candidato à presidência acusou Blatter de orquestrar as acusações contra ele para minar sua candidatura e acusou o suíço de saber sobre recebimento de propina.

A eleição será no dia 1º de junho, no congresso anual da Fifa. Blatter, agora, passa a ser candidato único.