Leeds United e Derby County abriram a rodada da Championship nesta sexta-feira com um jogo importante à parte de cima da tabela. E a rivalidade entre os clubes, intensa nos tempos de Don Revie e Brian Clough, acabou aquecida pelos atuais treinadores. Na véspera do duelo, Marcelo Bielsa mandou um espião ao treinamento dos Rams – uma prática comum do argentino, mas que não pega bem na Inglaterra. O sujeito foi expulso do CT e entrou em um carro identificado como dos Whites. Frank Lampard reprovou a atitude do adversário e, mesmo depois de conversar com Bielsa por telefone, condenou o ato. Enquanto isso, o veterano tentou colocar panos quentes. Fato é que, dentro de campo, o Leeds se aproveitou das informações. Bateu o Derby por 2 a 0 e abriu vantagem na liderança da segundona.

Antes do jogo, Bielsa foi entrevistado pela Sky Sports. Assumiu toda a responsabilidade pelo episódio: “É verdade que era alguém do Leeds United. Sou responsável por isso. Não importa se isso é legal ou ilegal, certo ou errado. Para mim, é suficiente que Lampard e o Derby tenham avaliado que não era a coisa certa a se fazer. Por isso acredito que não me comportei bem. Ontem falei com Lampard e ele disse que eu não respeitei as regras do Fair Play. Eu tenho um ponto de vista diferente sobre isso, mas o importante é o que Frank e o Derby pensam”.

Além disso, o argentino declarou a prática como algo notório em sua carreira e publicamente debatido: “Sou o único responsável por isso, porque não pedi permissão ao Leeds. Sem tentar encontrar uma justificativa, tenho usado esse tipo de prática desde os tempos em que treinava a Argentina nas Eliminatórias para a Copa de 2002. Não é ilegal, fazemos isso publicamente e falamos sobre isso na imprensa. Para algumas pessoas, é algo errado a se fazer. Para outras, não é”.

Lampard, por sua vez, revelou que ainda no primeiro turno o Leeds teria enviado um espião, não identificado na época: “Na véspera do primeiro jogo contra eles, que perdemos por 4 a 1, teve alguém no treinamento. O Leeds pode golear você porque eles têm um time fantástico, mas havia alguém na moita o dia todo. Pediram a esse homem para sair, mas ele não foi seguido, como aconteceu desta vez. No nível esportivo, isso é ruim. Não acredito que está tudo bem em falar que é cultural e se faz em outros lugares. Isso atrapalhou nossa preparação ao jogo. As pessoas dirão que estou criando uma desculpa, mas falarei isso independentemente do resultado”.

“O treino parou porque a polícia veio ao local. Estávamos fazendo um treino tático, pessoal, planejando como iríamos pressionar, como iríamos trabalhar sem a bola. A ausência de Harry Wilson ficou evidente, então a pessoa assistindo viu tudo isso. Se alguém quer dizer que isso não é relevante, que as táticas não são relevantes, significa que Guardiola, Pochettino e Klopp são apenas sortudos. Não me importo se é cultural. Se surgirem possibilidades para viajar em minha carreira, então vou descobrir qual a etiqueta naquele país e vou obedecer. O que eu acho que é uma boa coisa a se fazer na vida, não apenas no futebol. Não precisamos fazer uma queixa, porque Bielsa admitiu. Cabe à liga avaliar como eles lidam com isso”, complementou.

A Football Association lançou uma investigação para analisar o incidente. O funcionário do Leeds foi retirado do perímetro do centro de treinamentos pela polícia. As autoridades realizaram uma vistoria e não encontraram danificações na cerca do local. O invasor não foi preso. Ainda não está claro se a FA poderá punir o clube ou Bielsa pela ocorrência.

Já quando a bola rolou, o Leeds confirmou sua superioridade em Elland Road. Dominando o início da partida, os anfitriões abriram o placar aos 20 minutos, em ótima jogada de Jack Clarke. Em seu primeiro jogo como titular na Championship, o garoto de 18 anos fintou o marcador e cruzou rasteiro, para Kemar Roofe finalizar. O Derby até ameaçou em alguns momentos, mas o Leeds ampliou logo no primeiro minuto da etapa complementar. Após ótima trama, Clarke cruzou fechado e o goleiro Scott Carson evitou o tento. Mas, no rebote, Ezgjan Alioski ajeitou a bola e Jack Harrison definiu. Ao longo da noite, todavia, os Rams tiveram dois pênaltis erroneamente negados pela arbitragem.

Depois de duas derrotas consecutivas, o Leeds United volta a se recuperar na Championship. Permanece na liderança, com 54 pontos, abrindo cinco de vantagem sobre o Norwich City, segundo colocado. Os Canários fazem jogo importante neste sábado, visitando o West Bromwich, que aparece em quarto. Já o Derby County, oscilando nas últimas semanas, é o sexto.