“Ih, faz tempo, hein?”

É assim que Edu Gaspar reage à pergunta sobre a programação de férias do Corinthians. O gerente de futebol alvinegro vem trabalhando para definir o período de descanso dos jogadores ao fim do Mundial de Clubes. A equipe viaja para o Japão em 4 de dezembro e, segundo ele, retorna ao Brasil provavelmente dia 18. Dois dias após a final do torneio, claro, e de preferência com o título.

“Olha, não estou tendo facilidade, não. Estou em contato diário com o sindicato dos atletas. Até porque você vê que o nosso calendário no final do ano não nos vai permitir… Porque o Mundial provavelmente a gente chega no Brasil dia 18 e o Campeonato Paulista começa dia 19 de janeiro, né? Ou seja, a gente precisa de um tempo de preparação para que eles possam jogar o Paulista. Então, fica uma coisa meio inviável por culpa do calendário, não por culpa nossa”, tenta explicar.

Edu está tendo de quebrar a cabeça para solucionar a questão. A fórmula para tanto está na ponta da língua: divisão do elenco em três partes. “Eu fiz um grupo que não vai para o Mundial voltar em uma data, os atletas que atuaram menos no Mundial e na temporada voltarem em outra e aqueles que atuaram mais retornam mais tarde”. É esse último grupo que mais preocupa. Com a ajuda do sindicato, o ex-jogador está tentando assegurar os 30 dias de férias a Paulinho, Ralf e companhia. Uma alternativa cogitada é aproveitar a pausa para a Copa das Confederações e quitar qualquer pendência que possa ficar do fim da temporada com os atletas. O sonho do bi da Libertadores, no entanto, brecou a ideia.

“Estou tentando pegar a Copa das Confederações como um apoio que eu possa dar aos atletas nessas datas, mas é difícil porque, terminando as Confederações, que Deus queira, se der tudo certo, podemos estar disputando uma semifinal de Libertadores. Então, não posso dar uma folga de 10 dias para os caras porque eles perdem ritmo de treino”, conclui o gerente.

O Corinthians parte para o Mundial daqui a duas semanas, mas já pensa em voltar no ano que vem. Com os jogadores descansados, se possível.