O Monterrey não conseguiu bater o Santos Laguna, mas assegurou o bicampeonato da Concachampions e disputará o próximo Mundial de Clubes da Fifa. Depois de vencerem a primeira partida da decisão 2 a 0, os Rayados foram derrotados pelos albiverdes por 2 a 1 em Torreón, resultado suficiente para garantir a taça.

Sem o artilheiro Humberto Suazo, suspenso, o clube de Nuevo León levou pressão o jogo todo e só chegou ao gol do título aos 37 minutos do segundo tempo. Este é o segundo título continental do Monterrey, após levantar o caneco na temporada 2010/11.

Precisando do resultado, o Santos deu mostra de seu jogo ofensivo desde os minutos iniciais. A primeira boa ocasião aconteceu aos nove minutos, quando Cristian Suárez chutou cruzado e Jonathan Orozco fez grande defesa, espalmando para escanteio. Sem sucesso nas respostas, os Rayados tomaram outro susto aos 17, quando Orozco salvou novamente, parando chute de Darwin Quintero.

O time da casa diminuiu um pouco seu ritmo na segunda metade da etapa inicial. Quintero erraria o alvo mais duas vezes para o Santos, enquanto Jesús De Nigris também desperdiçou oportunidade para o Monterrey. E, quando albiverdes acertavam o gol, viam Orozco se agigantar. Na sequência, o goleiro faria mais outros dois milagres, em tentativas de Daniel Ludueña e Jorge Estrada.

O Santos Laguna só conseguiu abrir o marcador nos acréscimos do primeiro tempo. E graças a um belo gol de Ludueña. O argentino recebeu passe de Quintero na entrada da área e soltou uma bomba no ângulo, sem chances de defesa para Orozco.

O tento serviu para empurrar ainda mais os albiverdes, que chegaram ao segundo gol logo no início da segunda etapa. Em contra-ataque puxado por Quintero, a bola sobrou para Oribe Peralta. De frente para o gol, o atacante não teve problemas para estufar as redes. A desvantagem obrigou o Monterrey a sair um pouco mais ao ataque, embora o Santos seguisse mais perigoso, dando trabalho para Orozco.

O título do Monterrey só seria garantido a oito minutos do final. Neri Cardozo recebeu passe de Walter Ayoví e chutou forte, em bola que desviou na defesa antes de morrer dentro do gol. Sem tempo para reação do Santos Laguna, os Rayados ainda tiveram as melhores oportunidades nos minutos finais, quase chegando ao empate.