Depois da vergonhosa eliminação na repescagem das Eliminatórias da Copa do Mundo para a Suécia, a seleção italiana tenta construir uma nova seleção, sob o comando de Roberto Mancini e dando oportunidade a muitos jovens. Para Federico Bernardeschi, ponta da Juventus, este é o caminho certo, embora o time ainda, naturalmente, necessite de mais experiência.

LEIA MAIS: Para Roberto Mancini, Itália pode pensar em ganhar a Eurocopa 2020

“Eu acredito que temos muitas promessas. Muitas delas já estão prontas para dar o salto, mas não podemos deixá-los sentir o peso da camisa da Itália”, afirmou. “Há pressão, mas é certo que haja. Já mostramos sinais em alguns jogos. Criamos muitas chances, jogando um belo futebol”.

A Itália de fato fez algumas boas partidas no segundo semestre do ano passado, mas teve dificuldades para colocar a bola nas redes. Em quatro jogos pela Liga das Nações, marcou apenas dois gols. “Nós nos divertimos em campo e espero que as pessoas tenham se divertido nos vendo jogar. Marcamos poucos gols, mas é melhor criar chances e fazer poucos gols do que nenhum dos dois”.

Bernardeschi, 25 anos, está no meio do caminho entre os jovens que começam a surgir no time e os veteranos. Soma 16 partidas pela seleção italiana e abriu a possibilidade de jogar como meia central com Mancini. “Eu espero me tornar um líder. É meu objetivo e sonho. Somos um grande grupo, em todos os sentidos”, afirmou. “Eu tenho que jogar com minha cabeça e com desejo, dominando as movimentações que preciso fazer durante o jogo. Posso jogar lá (no meio-campo), mas depende do treinador. Onde eu jogo é secundário”.