A Juventus tenta superar as desconfianças na janela de transferências após as perdas um tanto quanto inesperadas de Leonardo Bonucci e Daniel Alves. Mas se o sistema defensivo precisará se reconstituir sem dois destaques da temporada passada, o ataque vem mais forte. O grande reforço para o setor ofensivo chegou nesta segunda: Federico Bernardeschi, que deixa a Fiorentina por €40 milhões. É o segundo negócio mais caro da Serie A até o momento, abaixo apenas da saída de Bonucci para o Milan. O atacante de 23 anos assina com a Velha Senhora pelas próximas cinco temporadas.

VEJA TAMBÉM: Douglas Costa busca mais estabilidade na Juventus, mas terá que correr para se encaixar

Diante do desmanche sofrido pela Fiorentina nas últimas semanas e do interesse da Juve, Bernardeschi já havia manifestado sua vontade de sair. A transferência gerou certo imbróglio no Estádio Artemio Franchi, especialmente quando o atacante não se apresentou para a pré-temporada, alegando uma gastroenterite aguda. Apesar da desconfiança sobre o episódio, as negociações caminharam até o acerto nos últimos dias. O italiano participou dos exames médicos em Turim nesta segunda, antes de ser apresentado oficialmente pelos bianconeri.

Revelado pela Fiorentina e com passagem por empréstimo pelo Crotone, Bernardeschi viveu sua temporada de afirmação no último ano. Que a Viola não tenha feito grande campanha na Serie A, as atuações do jovem elevaram o desempenho da equipe. Anotou 11 gols e deu quatro assistências na liga, contribuindo inclusive para a vitória no confronto com os juventinos, em Florença. A boa fase levou o camisa 10 a ser convocado pela seleção principal da Itália, assim como foi um dos grandes destaques dos azzurrini na campanha até as semifinais do Campeonato Europeu Sub-21.

Por suas características, Bernardeschi tende a ser muito útil à Juventus. Pode entrar nas duas pontas ou também como segundo atacante – posição esta na qual jogou durante a maior parte da temporada passada. É um jogador vertical, que prima pelos dribles e arrisca bastante nas finalizações. Além disso, possui boa visão de jogo e leva perigo nas bolas paradas. Diante da importância de Dybala pela faixa central, o novato tende a disputar posição com Mario Mandzukic, Juan Guillermo Cuadrado e Douglas Costa por um espaço nos lados do campo. Mas, acima da concorrência pesada, o italiano oferece bastante ao elenco. E com uma margem de evolução, até por sua idade, maior que a de seus novos companheiros.

A Fiorentina, por outro lado, perde o seu melhor jogador. Colocada à venda por seus donos, a Viola convive com diversas perdas importantes nesta janela de transferências e as reposições não parecem à altura. Diante das perspectivas, a saída de Bernardeschi soava como natural. O que os torcedores não queriam era ver justamente o jovem ídolo rumar à rival Juventus – como em outro episódio simbólico para o ranço entre os dois times, quando Roberto Baggio saiu de Florença para Turim. Diferentemente do que aconteceu com a velha lenda, que deixou o Artemio Franchi a contragosto, Bernardeschi era um dos mais interessados no negócio. Não deve ser recebido com carinho em suas próximas voltas à velha casa.

Independentemente disso, Bernardeschi dá um passo fundamental à sua evolução. Não apenas ganha projeção no atual hexacampeão nacional e em uma das potências da Liga dos Campeões, como também mira a Copa do Mundo de 2018. Ganha novos horizontes à carreira e demonstra sua vontade de se consolidar na Velha Senhora, devendo até mesmo vestir a simbólica camisa 10 juventina. Agora é ver qual o seu impacto sobre o jogo coletivo da Juve, em uma temporada na qual o pesado investimento dos adversários no mercado de transferências promete diminuir as distâncias na Serie A. O jovem se coloca como a principal aposta para que o hepta venha.