Eleito o melhor jogador da última Copa Africana de Nações, Ismaël Bennacer chegou cercado de expectativas ao Milan, mas nos primeiros meses de novo clube ainda não conseguiu mostrar o potencial que empolga quem o acompanhou até aqui. Titular apenas em cinco jogos dos 11 disputados pelo Milan na temporada, o argelino parece tranquilo quanto ao caminho que acaba de começar a percorrer, seguro de sua escolha pelo clube de Milão e com uma referência em mente: Andrea Pirlo.

Em entrevista à Gazzetta dello Sport, Bennacer revelou que suas principais referências são Iniesta e Verratti, mas que tem visto vídeos de Pirlo para aprender com o ex-jogador, sobretudo com suas escolhas em campo e seu posicionamento. O conselho de acompanhar o antigo camisa 21 foi de Zvonimir Boban, ex-jogador e hoje dirigente do Milan.

“Quando o Pirlo jogava, eu era pequeno e não pude vê-lo muito ao vivo. Sei que ele é um dos melhores, e Boban sempre me lembra disso. Ele me diz: ‘Veja como o Pirlo jogava, ele não era muito rápido, mas sempre sabia onde estavam a bola e seus companheiros. O posicionamento dele era sempre perfeito’. Agora eu o estudo em vídeos.”

Seja por influência do que viu em Pirlo e Iniesta ou não, Bennacer projeta um papel de destaque no Milan. Quer ser um líder para a equipe, embora saiba que precise evoluir muito para chegar a esse patamar.

“Sei que devo ser mais líder. Preciso falar mais, algo que o meu papel exige. Preciso aprender a dar aos meus companheiros as melhores indicações, a controlar os momentos difíceis. Hoje já estou falando bastante dentro de campo, porém, fora dele sou muito calado. Mas preciso fazer ainda mais”, cobrou de si mesmo, acrescentando ainda que precisa crescer taticamente: “buscar a bola, saber como me livrar da pressão e estar disponível aos meus companheiros”.

Com apenas 21 anos, seria compreensível se a pressão de um clube da estatura do Milan afetasse Bennacer, mas o argelino descarta a avaliação. Sua visão sobre o futebol ajuda a pintar uma projeção positiva para a carreira do meio-campista, vindo do Empoli nesta temporada.

“Obviamente, o Milan é o Milan, e o Empoli é o Empoli. Mas o futebol é igual em todos os lugares, exceto que agora jogo com jogadores melhores. É por isso que digo que não sou afetado pela pressão; acho que ela me fará bem. Os erros ainda existem, mas não dependem de onde você está. Repito, sei quais são as áreas que devo melhorar, e a minha escolha de vir aqui foi a melhor que pude fazer.”

Mesmo tão jovem e em uma estrelada equipe campeã da CAN 2019, com Mahrez como um dos destaques, Bennacer conseguiu tomar para si o título de melhor jogador da competição – isso sem balançar a rede uma vez, prova da influência que exerceu no jogo argelino durante o torneio. O criativo meia parece de fato não se incomodar com holofotes. Pelo contrário, talvez conte com o impulso deles para prosperar.