O ex-técnico da Internazionale, Rafael Benítez, afirmou que o tempo mostrou que ele estava certo quando dizia que o clube precisava de três ou quatro reforços para melhorar os resultados.

Demitido logo após o Mundial de Clubes em dezembro de 2010, Rafa Benítez pedia contratações para o time, que estava em sétimo lugar no Campeonato Italiano e vivia um momento ruim.

“Na vida, o tempo pode dizer a você sim ou não e se você está certo, ele diz sim”, afirmou Benítez à Gazzetta Dello Sport. “E aqui estou eu, a vida me disse isso porque eles contrataram, mostrando que precisavam”, disse.

“Na minha pré-temporada, nós não contratamos ninguém, depois que saí eles contrataram quatro jogadores e deixaram seis sair”, explicou. “O problema é que eles precisavam fazer isso antes, contratar e rejuvenescer. Se tivessem feito isso comigo, nós teríamos ganhado muito mais”, disse.

“Talvez a Inter tenha perdido uma oportunidade. É como Alexis Sánchez, uma grande contratação do Barcelona. Eu pedi por Sánchez em janeiro e na época ele teria custado metade do que custou. Eles me deram várias promessas, mas não contrataram ninguém”, disse.

O técnico não quis cravar que seria campeão com os reforços, mas disse que asc ontratações tiveram um grande impacto na melhora que o time teve.

“Você sabe quantos pontos Pazzini deu ao time? 18. Com 18 pontos, dos seus gols decisivos, talvez eu também tivesse trilhado esse caminho”, projetou o técnico.

“Foi uma grande experiência para mim, eu ganhei dois troféus em seis meses e entre esses um que o presidente [Massimo] Moratti e todos os torcedores da Inter esperaram por anos, o Mundial de Clubes”, disse.

Segundo o espanhol, não faltaram ofertas para voltar a trabalhar, mas ele ainda não aceitou nenhuma. “Três da Espanha, dois da Aleanha, duas selções na Àsia e África me fizeram propostas, mas vamos dizer que eu estou esperando o projeto certo”, disse.