Diante das emergências, é essencial que os clubes tomem atitudes para auxiliar no combate ao coronavírus – seja com apoio financeiro, seja com ajuda estrutural. E o Benfica merece elogios pelo anúncio desta sexta-feira. Os encarnados doaram €1 milhão para a compra de equipamentos médicos ao Serviço Nacional de Saúde (SNS) de Portugal. A ação foi realizada em conjunto com a prefeitura de Lisboa e com a Universidade de Lisboa.

“Na nossa história e na nossa identidade esteve sempre presente um profundo sentido de solidariedade e responsabilidade social. Vivemos, como todos sabemos, um momento de emergência, que de todos nós exige ações e contributos concretos de apoio, sobretudo a quem está na linha da frente do combate a este tão grave flagelo”, declarou o Benfica, em nota oficial, antes de anunciar a sua doação.

O dinheiro do Benfica será utilizado para a compra de máscaras e materiais de proteção, assim como para a aquisição de ventiladores à respiração dos pacientes. Antes disso, os benfiquistas já tinham anunciado uma ajuda a três mil idosos isolados, sinalizados através de um programa nacional de identificação dessa população. Por meio de sua fundação, o clube oferecerá cestas básicas individuais aos idosos. Neste momento, Portugal possui 1280 casos confirmados do novo coronavírus e 12 mortes. O governo aponta que o pico no país acontecerá em 14 de abril.

“O Grupo Sport Lisboa e Benfica espera que esta e outras iniciativas da sociedade civil possam ajudar a combater esta terrível calamidade pública e expressa uma forte e sentida palavra de solidariedade a todos os portugueses e um profundo agradecimento a todos os incansáveis profissionais da saúde ou os que diariamente nos asseguram os bens básicos e a segurança”, complementou o clube.

Outros clubes portugueses também agem exemplarmente durante a pandemia. O Braga forneceu ventiladores e máscaras, em doação de equipamentos médicos no valor de €270 mil. Porto e Sporting abrirão suas instalações para a montagem de hospitais de campanha, enquanto os portistas vão fornecer refeições ao pessoal hospitalar e o presidente sportinguista retomou suas atividades como médico. O Vitória de Guimarães recolhe fundos. O presidente do Moreirense doou dez ventiladores. E até o empresário Jorge Mendes atua, com mil câmaras expansoras e 200 mil batas de proteção dadas ao Hospital de São João, no Porto.