Antes da eclosão da pandemia do novo Coronavírus, o Bayern de Munique vinha em grande momento sob o comando de Hansi Flick e se colocava como um fortíssimo candidato ao título da Champions League. Apenas quatro partidas depois do retorno da Bundesliga, e os bávaros parecem já ter reencontrado o mesmo alto nível de antes da paralisação do futebol, e a goleada sem grande esforço por 5 a 0 sobre o Fortuna Düsseldorf, neste sábado (30), foi o mais recente exemplo disso.

Logo aos dois minutos de jogo, Lewandowski balançou as redes, após cruzamento de Alphonso Davies. Porém, o canadense estava em posição de impedimento ao receber a bola de Gnabry antes de cruzar para o centroavante. Corretamente, a arbitragem anulou o tento. Ainda assim, não demorou para o Bayern abrir o placar. Aos 15 minutos, Müller levantou a bola na segunda trave, Gnabry ajeitou para Pavard, e o francês, na beira da pequena área, completou para o gol, contando com desvio na zaga do Düsseldorf: gol contra de Zanka.

A inauguração do placar não tirou do Bayern a urgência pelo gol ou pela bola. Quando tinha a posse, o Düsseldorf se via alvo de uma forte pressão exercida por todos os jogadores da casa. A estratégia era clara: não dar tempo ao oponente para respirar. Com frequência, funcionava, e os visitantes eram forçados ao erro.

Thomas Müller quase ampliou para o Bayern, mas foi parado pelo goleiro Kastenmeier em grande defesa, aos 28 minutos. No minuto seguinte, no entanto, veio o segundo gol. Após cobrança de escanteio de Kimmich, Pavard, desta vez sem desvio, cabeceou para fazer o 2 a 0 e levar o crédito total pelo tento.

Nos minutos que se seguiram ao segundo gol do Bayern, o Düsseldorf se lançou à frente em contra-ataques, mas foi parado nos últimos instantes por Davies e Hernández. Aos 43 minutos, para dar fim ao jogo prematuramente, mais um lance de maestria para a campanha dos bávaros.

O passe vertical de Alaba encontrou Lewandowski, que desviou de leve para enganar a marcação e lançar Kimmich. Com noção de espaço privilegiada, o alemão tirou a marcação da jogada com um toque de calcanhar para Müller. Já daria para o camisa 25 fazer o gol, mas ele resolveu aumentar as probabilidades ao enganar defesa e goleiro e tocar ainda mais para trás, para Lewandowski, que chegava bem posicionado. Não deu outra: bola na rede, 3 a 0 para o Bayern.

Com a vitória já garantida, Flick resolveu dar minutos aos jovens. Logo na volta do intervalo, Mickaël Cuisance entrou no lugar de Hernández. Mais tarde, Zirkzee também ganharia sua oportunidade, além de Oliver Batista Maier, alemão filho de mãe brasileira, que fez sua estreia pela equipe profissional.

Os minutos iniciais do segundo tempo indicavam que o confronto se encaminhava para uma goleada histórica. Sem pisar no freio, o Bayern ampliou para 5 a 0 ainda aos sete minutos da etapa final. Primeiro, aos cinco minutos, Lewandowski completou boa trama de Coman e Gnabry para fazer o 4 a 0. Dois minutos mais tarde, Davies demonstrou quase todas as suas qualidades em questão de segundos, roubando a bola perto da área adversária, driblando os oponentes e batendo na saída do goleiro para aumentar a vantagem.

No fim das contas, o placar parou no 5 a 0. O Bayern progressivamente diminuiu seu ritmo, mas sem deixar o Düsseldorf se encontrar no jogo. Sem ameaças, levou para casa mais uma vitória e mais um jogo sem ser vazado, o terceiro nos quatro confrontos desde a volta da Bundesliga.

Standings provided by Sofascore LiveScore

Com dez pontos de vantagem para o segundo colocado Borussia Dortmund, que ainda joga nesta rodada, o Bayern já tem uma mão na taça do Campeonato Alemão. O torneio doméstico torna-se então uma preparação para os confrontos de mata-mata da Champions League.

Se antes do Coronavírus os bávaros já se colocavam como um dos favoritos, o fato de que tenham se encontrado tão rapidamente após a volta do futebol alemão apenas reforça a condição. É impressionante o nível técnico demonstrado, que sobe a cada rodada e, neste sábado, parece ter atingido o alto patamar prévio à paralisação. Ademais, fisicamente a equipe mostra estar afiada.

Tendo vencido por 3 a 0 o Chelsea na ida das oitavas de final, lá em fevereiro, em outra demonstração da força impressionante que acumulou sob Hansi Flick, o Bayern está confortável para chegar às quartas, e os sinais apontam para um time que chegará voando para a retomada da Liga dos Campeões, ainda buscando o seu ápice técnico.