O duelo entre Bayern de Munique e Tottenham nesta quarta-feira não valia nada além da vaidade. Os dois times já estavam classificados aos mata-matas da Champions League, com os alemães garantidos na primeira colocação. No máximo, a partida serviria para os Spurs tentarem um troco pelos 7 a 2 sofridos em Londres. José Mourinho, entretanto, foi sábio o suficiente ao não alimentar rancores e dar prioridade ao que necessário no momento, poupando parte de seus jogadores para a Premier League. O triunfo era mais necessário aos bávaros, criticados após duas derrotas consecutivas na Bundesliga. Assim, o time de Hansi Flick cumpriu a missão. Os anfitriões venceram por 3 a 1 e encerraram a fase de grupos com 100% de aproveitamento.

Também sem jogadores importantes, incluindo Robert Lewandowski, o Bayern não se furtou a tomar a iniciativa na Allianz Arena. Os bávaros atacavam com vigor e provavam a defesa do Tottenham desde os primeiros minutos. Paulo Gazzaniga evitou o gol de Benjamin Pavard aos 12, mas não teve o que fazer logo no lance seguinte. Serge Gnabry deu o passe a Kingsley Coman, totalmente livre pelo lado esquerdo da área, e o francês balançou as redes. Os Spurs ainda conseguiriam responder na sequência e empataram aos 20. Numa bola que sobrou na esquerda, Ryan Sessegnon dominou e soltou o pé, superando Manuel Neuer com seu chute forte.

Coman precisou ser substituído após se lesionar sozinho aos 29 minutos, mas a saída do ponta não atrapalhou a superioridade do Bayern, que pressionava mais. O Tottenham teria um lance desperdiçado por Moussa Sissoko, o que era uma exceção em meio à imposição dos bávaros. Aos 38, Gnabry lamentou muito o chute cruzado que bateu na base da trave. Ao menos a vantagem viria antes do intervalo, aos 45. Mais uma bola na trave, agora de Alphonso Davies. Thomas Müller, entretanto, estava atento para aproveitar o rebote. Como se não bastasse, Philippe Coutinho também esbarrou no poste durante os acréscimos.

Já no segundo tempo, o Bayern seguiu imprimindo um ritmo mais forte. Continuou jogando no ataque e finalizando bastante, até que o terceiro gol saísse de maneira natural aos 19 minutos. Philippe Coutinho recebeu na entrada da área e acertou o tiro no canto, que Gazzaniga não alcançou. A partir de então, os germânicos passaram a administrar um pouco mais o resultado, trocando passes no campo de ataque. O Tottenham até acionou Son Heung-min, mas não superou Neuer, com o goleiro realizando ótima defesa no um contra um. O desfecho do duelo seria mais arrastado, sem tanta emoção.

O Bayern termina com a melhor campanha da história da Champions na fase de grupos. Segundo dados do MisterChip, os bávaros registraram o melhor saldo de um clube com 18 pontos no torneio, superando a marca do Real Madrid de 2011/12. A chave beneficiou bastante a equipe mesmo com a mudança de técnico, se aproveitando da má fase do Tottenham e da fragilidade dos demais concorrentes. Já os Spurs, depois de tudo, ficam satisfeitos com o segundo lugar sem sobressaltos. Na luta pela Liga Europa, melhor para o Olympiacos. Os gregos venceram o Estrela Vermelha em Pireu por 1 a 0, gol de pênalti anotado por Youssef El-Arabi, e fecham com a terceira colocação.

Classificações Sofascore Resultados