A atividade do Bayern de Munique na janela de transferências da metade de 2019 indicou uma possível mudança de perfil do clube em sua atuação no mercado. O garimpo foi muito menos sutil, e os valores, muito maiores. Ainda assim, os bávaros não deixariam oportunidades como a situação de Alexander Nübel, do Schalke 04, passar. O goleiro se juntará ao time de Munique de graça, após o fim da atual temporada, quando seu contrato chegar ao fim. O vínculo com os bávaros será de cinco anos.

Embora nos últimos anos o Bayern de Munique tenha se caracterizado por estender seus tentáculos sobre os destaques da Bundesliga, evitando gastar muito, pinçando acordos com jogadores em fim de contrato e usando a atratividade de sua marca forte doméstica – mas também continental –, a janela de transferências da metade de 2019 mostrou uma mudança de modus operandi.

Até 2019, a contratação mais cara da história dos bávaros havia sido a de Corentin Tolisso, vindo do Lyon por € 41,5 milhões. No ano passado, no entanto, o Bayern quase dobrou este valor ao pagar € 80 milhões por Lucas Hernández, um defensor sequer entre os melhores do mundo. Se uma lesão não tivesse mudado o rumo das coisas na última hora, a contratação de Leroy Sané, do City, por mais de € 100 milhões, provavelmente teria se juntado ao montante gasto em Hernández.

Nübel chegará agora, de graça, mostrando que o Bayern ainda mantém parte daquele DNA por trás das transferências de Goretzka, Lewandowski e Sebastian Rudy, recrutados sem custos, e de Gnabry (€ 8 milhões) e Süle (€ 20 milhões), que pouco custaram. Ainda assim, a tendência é que a mudança vista no ano passado tenha sido apenas um primeiro passo em uma nova direção – e que transferências como a de Nübel percam cada vez mais proporção em relação a contratações caras.

O sucessor de Manuel Neuer

Manuel Neuer, do Bayern (Getty Images)

Revelado pelo Paderborn, Nübel chegou a Gelsenkirchen em 2015, mas apenas na virada de ano de 2018 para 2019 passou a ganhar espaço no quadro principal. Até então, passara toda sua trajetória no Schalke atuando pela equipe B. No primeiro semestre de 2019, tomou a titularidade do experiente Ralf Fährmann, que acabou negociado ao fim da temporada passada com o Norwich.

O Schalke tentou evitar com Nübel o mesmo destino de outros de seus atletas que deixaram o contrato correr para sair de graça ao fim do vínculo, como Neustädter, Kolasinac, Goretzka e Matip, mas, com o Bayern de Munique batendo à porta, não conseguiu.

Com Nübel, de apenas 23 anos, o Bayern de Munique quer escapar do problema que teve notavelmente com Robben e Ribéry, jogadores geracionais cujos substitutos os bávaros demoraram para buscar. Manuel Neuer, titular no gol, já está em declínio técnico há algum tempo, e desta vez o Bayern se antecipa em sua estratégia de renovação.

Diante disso, Neuer já teria expressado, segundo a mesma imprensa alemã, que não deseja revezar a titularidade do gol do time de Munique. O campeão mundial, por sua vez, tem contrato até justamente o fim da próxima temporada, e o clube tem interesse na renovação do vínculo.

Administrar a situação dos goleiros não será tarefa fácil, seja para Hansi Flick ou um possível novo técnico que assuma o comando dos bávaros a partir da próxima temporada. É de se imaginar que, promissor como é, titular da equipe Sub-21 da Alemanha e de um time grande da Bundesliga, Nübel tenha recebido um plano de carreira que envolva minutos significativos em campo – hipótese reforçada pelo papo na imprensa alemã de que o Bayern não pretende emprestá-lo de volta ao Schalke ou a outra equipe.