Bater o Real Madrid tem sido sempre uma missão difícil e quando se trata de Champions League, a missão fica ainda mais complicada. O Bayern de Munique sentiu isso na pele. Jogando em casa, o time alemão sabia que vencer seria crucial. Saiu na frente, criou muitas chances, mas não aproveitou. Tomou o empate no fim do primeiro tempo, o gol da virada no segundo e sai de Munique com uma derrota por 2 a 1 que complica a situação.

LEIA TAMBÉM: A noite de sonho em Anfield podia ter definido a classificação do Liverpool, mas a Roma sobreviveu

Foram dois tempos muito diferentes. O primeiro teve um Bayern de Munique como se esperava, pressionando, criando chances, sufocando o Real Madrid no seu campo. O Real Madrid sofreu muito mais do que gostaria, certamente, mas conseguiu sobreviver para o segundo tempo. E foi aí que o time conseguiu mostrar a sua maturidade em campo para conter o rival e sair de campo com uma vitória que o aproxima da final da Champions League.

O técnico Jupp Heynckes colocou em campo um time muito ofensivo. No 4-1-4-1, deixou apenas Javi Martínez como jogador mais recuado no meio-campo, com uma linha ofensiva com Robben, Müller, James e Ribéry, além de Lewandowski no ataque.

Do outro lado, porém, o Real Madrid jogou de forma invertida. Zinedine Zidane levou a campo uma formação mais precavida, apenas com Cristiano Ronaldo como um jogador efetivamente de finalização. Casemiro fez o seu tradicional papel de homem à frente da defesa, com Lucas Vázquez pela direita, Modric e Kroos pelo meio e Isco pela esquerda. No ataque, Cristiano Ronaldo tinha que se virar.

Logo nos primeiros minutos, o técnico Jupp Heynckes foi obrigado a fazer uma substituição por lesão. Robben se machucou e deu lugar a Thiago logo a oito minutos de jogo. Mas o plano de jogo se manteve. Thiago entrou no meio, deslocando Müller para a ponta direita.

Se a intenção do time espanhol era segurar o jogo, no início funcionou. Os 20 primeiros minutos de jogo foram mais de disputas no meio-campo do que de ataques perigosos. Aos poucos, o Bayern se encontrou no jogo. Começou a ocupar mais o campo de ataque.

Logo no início do jogo, o Bayern reclamou um pênalti em Lewandowski, em uma carga do zagueiro. Depois em um lance de Ribéry pela esquerda, o francês tentou o cruzamento e reclamou um toque de mão – que não aconteceu.

O Bayern conseguiu algo raro para marcar o gol. Na saída de bola, James Rodríguez recebeu no meio-campo e fez um bom lançamento, em velocidade, para o lateral Kimmich. Ele avançou e, percebendo o mau posicionamento do goleiro Navas, chutou forte, cruzado, e o costarriquenho tomou o gol: Bayern 1 a 0.

O momento do Bayern era muito bom e o time foi para cima logo depois do gol. Aos 33 minutos, Ribéry teve uma grande chance, recebendo a bola em ótima posição dentro da área, mas perdeu o domínio da bola e a chance de finalizar.

O início do segundo tempo teve o Real Madrid igualando mais o jogo. O domínio do Bayern se desfez, mas o time alemão seguia tentando atacar. As chances que o time alemão perdeu no primeiro tempo cobravam um preço, já que o time precisava continuar buscando o gol que daria uma vantagem mínima no placar.

O Bayern tentava, mas aí veio um lance de contra-ataque que foi mortal. O Bayern atacava, tentando levar perigo ao Real Madrid. Só que em um lance rápido, o time visitante causou um estrago violento: Rafinha errou um passe no meio, Lucas Vázquez tomou e, em velocidade, avançou contra uma desarrumada defesa alemã. Tocou para Asensio, que tocou cruzado, tirando do goleiro Ulreich, e marcou: 2 a 1 para o Real Madrid, virando o jogo.

Depois disso, como esperado, o Bayern partiu ainda mais para cima. Curiosamente, Zidane teve que mudar o lateral direito Carvajal, que saiu machucado, e colocou o ponta Lucas Vázquez na posição, colocando em campo o atacante Karim Benzema. Apesar de mais um atacante em campo, o Real Madrid recuou para tirar os espaços do Bayern.

Das poucas chances do Real Madrid, Benzema foi quem teve a única que não entrou. Foi bem no lance, tirou do zagueiro e, em um ângulo difícil, conseguiu finalizar bem, mas o goleiro Ulreich defendeu. O Real Madrid se propôs a se defender diante da tentativa de ocupação doo campo de ataque do Bayern, que, porém, não conseguia marcar. O ponta Franck Ribéry foi quem mais se destacou, tentando muitos lances pelo lado esquerdo.

O Bayern tirou Javi Martínez e colocou Corentin Tolisso, tentando dar mais criatividade ao time. O time da casa não pode reclamar do número de chances. Foram 13 chances de gol dos bávaros, que desperdiçaram quase todas. O Real Madrid teve, filtrando bem, três chances. Marcou dois gols. Uma eficiência absurda de um time que parece saber sempre o que fazer em jogos decisivos da Champions League.

Importante lembrar que na temporada passada, os dois times tinham se enfrentado pelas quartas de final e o Real Madrid venceu exatamente pelo mesmo placar jogando em Munique. No jogo de volta, perdeu no Bernabéu, mas se classificou na prorrogação. O confronto está longe de estar decidido, mas sem dúvida os merengues ficam mais perto de avançar, especialmente se conseguirem jogar bem, algo que não fizeram em Munique.

FICHA TÉCNICA

Bayern de Munique 1×2 Real Madrid

Local: Allianz Arena, em Munique (ALE)
Árbitro: Björn Kuipers (HOL)
Gols: Kimmich aos 28’/1T (Bayern), Marcelo aos 44’/1T (Real Madrid)
Cartões amarelos: Ribéry, Thiago Alcântara (Bayern), Casemiro (Real Madrid)
Cartões vermelhos: nenhum

Bayern de Munique

Sven Ulreich; Joshua Kimmich, Jérôme Boateng (Niklas Süle, 34’/1T), Mats Hummels e Rafinha; Javi Martínez (Corentin Tolisso aos 30’/2T); Arjen Robben (Thiago Alcântara, 8’/1T), Thomas Müller, James Rodríguez e Franck Ribéry; Robert Lewandowski. Técnico: Jupp Heynckes

Real Madrid

Keylor Navas; Dani Carvajal (Karim Benzema aos 22’/2T), Raphäel Varane, Sergio Ramos e Marcelo; Casemiro (Mateo Kovacic aos 38’/2T); Lucas Vázquez, Luka Modric, Toni Kroos e Isco (Marco Asensio, intervalo); Cristiano Ronaldo. Técnico: Zinedine Zidane


Os comentários estão desativados.