A Bundesliga começa sob a expectativa de uma temporada mais aberta. O Bayern de Munique, assim como no último ano, gera desconfianças – mesmo preservando o favoritismo para ampliar sua hegemonia. O título passado veio de maneira cambaleante, Niko Kovac não é o treinador preferido de muitos torcedores e o mercado de transferências ficou aquém das necessidades. Já nesta sexta, a abertura do campeonato nacional serviu para comprovar as reticências sobre os bávaros. Mesmo apoiados pela torcida na Allianz Arena, os heptacampeões desperdiçaram os seus primeiros pontos. O Hertha Berlim aproveitou-se dos erros e chegou até a virar o placar, mas ao final conseguiu segurar a pressão para arrancar o empate por 2 a 2. Um alento a quem espera uma corrida mais equilibrada para a Salva de Prata – especialmente o Borussia Dortmund.

Benjamin Pavard foi o único dos reforços desta temporada a estrear entre os titulares. O francês compôs a dupla de zaga com Niklas Süle. Além disso, Niko Kovac optou por utilizar Thomas Müller no meio-campo, ao lado de Thiago Alcântara e Corentin Tolisso. Ante Covic, por sua vez, estreou na Bundesliga à frente do Hertha. O comandante confiou no novato Dodi Lukebakio, principal reforço dos berlinenses, para compor a dupla de ataque com Vedad Ibisevic. Os dois seriam essenciais à partida.

Não parecia um jogo complicado ao Bayern durante os primeiros minutos. O time da casa dominava a partida no ataque e criava suas chances principalmente pelo lado direito, onde Serge Gnabry avançava com muita velocidade. Faltava melhorar as finalizações, com direito a uma bola perigosa de Thomas Müller que seguiu para fora. O Hertha encontrava dificuldades para sair ao ataque, diante do domínio bávaro na posse de bola. E o primeiro gol não surpreendeu, aos 24 minutos. Em mais uma arrancada pela direita, Gnabry cruzou de primeira e Robert Lewandowski se esticou para completar de carrinho.

O Bayern quase anotou o segundo na sequência. O goleiro Rune Jarstein parou o arremate de Gnabry e a defesa evitou que Lewandowski aproveitasse o rebote. Porém, quando tudo parecia sob controle na Allianz Arena, dois cochilos da defesa vermelha permitiram a virada do Hertha. O empate aconteceu aos 36, em contra-ataque. Lukebakio teve enorme liberdade na entrada da área e arriscou. Nem foi um chute bom, mas desviou nas costas de Ibisevic e tirou Manuel Neuer da jogada. Três minutos finais, Ibisevic deu um lançamento primoroso e Marko Grujic passou pelos marcadores sem ser acompanhado. Driblou Neuer e bateu às redes vazias.

Antes do intervalo, o Bayern reclamou de um pênalti, em empurrão sobre Kingsley Coman que mesmo o VAR ignorou. A bronca de Kovac nos vestiários deve ter sido grande e o time retornou com outra atitude para a etapa final. Os bávaros começaram a acumular chances. Gnabry continuava sendo um tormento e infernizava pela direita. Aos dez minutos, bateu forte da entrada da área e Jarstein novamente foi buscar. O empate, enfim, saiu aos 15, por uma besteira imensa de Grujic. O volante derrubou Lewandowski fora do lance e o VAR flagrou a infração. Com paradinha, o artilheiro converteu.

O Hertha mudou os seus atacantes, mas o novo gás não ajudou. O Bayern continuava no abafa e forçava a defesa berlinense contra a parede. Aos 16, Lewandowski ia saindo de frente para o gol e Niklas Stark realizou um desarme providencial. Além disso, os visitantes se empenhavam para bloquear os espaços, diante das frequentes investidas dos anfitriões.

A esperança do Hertha ficava para os contragolpes e Neuer chegou a ser exigido em uma saída do gol diante Davie Selke. De qualquer maneira, a partida pendia mais à nova virada bávara. Não aconteceu. Apesar dos muitos cruzamentos durante a reta final, foram poucas as oportunidades de real perigo. Na principal delas, Lewandowski tentou de cabeça, em bola que desviou na zaga antes de sair. Definitivamente, não foi o início de campanha mais promissor aos heptacampeões.

Durante a última edição da Bundesliga, o Bayern deixou de vencer apenas quatro das 17 partidas que disputou na Allianz Arena. O tropeço aumenta os questionamentos sobre Niko Kovac, que não consegue fazer o time render o esperado. Individualmente, Gnabry foi o único que realmente sobrou, mas sozinho não garantiu o resultado. Méritos também do Hertha Berlim, especialmente pela forma como se defendeu. Não é um time que chama tanta atenção, em mudança de trabalho, mas que apresentou o seu cartão de visitas. Arranca um ponto valioso.

* As notas dos jogadores são determinadas pelo SofaScore, a partir de um algoritmo que se baseia nas estatísticas da partida.