O Bayern Munique está pronto para buscar o bicampeonato da Bundesliga. Mais uma prova de força foi dada neste sábado, ainda que os bávaros tenham sofrido um pouco para bater o Wolfsburg na Allianz Arena. Vitória por 1 a 0, que manteve a equipe de Pep Guardiola emparelhada com o Borussia Dortmund no topo da tabela. E o gol nasceu dos pés de Thomas Müller, destaque do time principal há tempos, mas que também ajuda a demonstrar o bom trabalho do Bayern B, dono de excelente campanha Regionalliga, a quarta divisão alemã.

Com 14 rodadas disputadas, a equipe lidera a competição e só sofreu duas derrotas. O ataque já marcou 42 gols, enquanto a defesa levou apenas dez, os melhores no quesito. Parece que o Bayern B conseguirá retornar à terceira divisão, da qual foi rebaixado em 2010/11, como lanterna. Mas certamente o objetivo dos bávaros é outro.

É fato que o jogador a vestir a camisa do time B pode ser promovido à equipe principal. Essa é uma política importante em Munique, comprovada ao se observar o elenco atual. Dos 21 jogadores já utilizados por Pep Guardiola na temporada, sete (33%) já atuaram no segundo time. Alguns são da seleção alemã, como o capitão Philipp Lahm, o zagueiro Holger Badstuber e os meio-campistas Toni Kroos e Bastian Schweinsteiger, além do próprio Thomas Müller.

Na seleção da Áustria, David Alaba começou a carreira no sub-19 do Austria Viena, mas foi contratado pelo Bayern em 2009, inicialmente para o sub-19. O único que não tem convocações por seleção principal é o lateral-esquerdo Diego Contento, que nasceu na Alemanha e defendeu seu país no sub-17 e sub-20.

Em um time que ganhou tudo na temporada passada, será difícil para os jovens alcançarem espaço na equipe principal, mas alguns já se destacam. O goleiro Lukas Raeder é o titular do time B, mas também ocupa a terceira vaga entre os profissionais, com chance de substituir Manuel Neuer e Tom Starke. O mesmo acontece com o meia Mitchell Weiser e o atacante Patrick Weihrauch, ambos de 19 anos,.

Outro bom nome para o futuro é o meia Julian Green, 18 anos, que teve o gostinho de ser companheiro de Müller, Ribéry e companhia durante oito dias na pré-temporada. Ele é o artilheiro da equipe na quarta divisão e, se continuar na mesma toada, deve figurar entre os profissionais em médio prazo. Diferente do atacante Tobias Schweinsteiger, irmão do craque da seleção alemã, que tem 31 anos e foi contratado nesta temporada para atuar na equipe B. Parece fazer parte do acordo salarial com o irmão famoso.

Se o Bayern gastou € 62 milhões em contratações na atual temporada, foi porque quis reforçar a base já trabalhada na própria Baviera. E ainda pode fazer caixa com a venda de seus próprios prodígios – Emre Can, meio-campista das seleções de base que foi vendido ao Bayer Leverkusen por € 5 milhões, é um exemplo de como esta política pode ser aplicada. Os 27 atletas do Bayern B estão avaliados em € 4,3 milhões, enquanto os sete oriundos da base valem atualmente € 187 milhões. Bom negócio, não é mesmo?