O Campeonato Belarusso segue em frente, e com portões abertos, mesmo diante dos números significativos da COVID-19 no país. A postura negacionista do governo contribuiu ao aumento de casos e o total de infectados supera os 37 mil – uma média de 3,9 mil positivos a cada milhão de habitantes, uma proporção maior que a da Itália e mais que o dobro do registrado no Brasil. Ainda assim, a Copa de Belarus teve estádio relativamente cheio em sua decisão neste final de semana. Com um desfecho emocionante, o Bate Borisov adicionou mais uma taça à sua coleção e bateu o Dynamo Brest no último lance da prorrogação.

A curva de contágio do coronavírus em Belarus está em pleno crescimento. Mesmo assim, alguns números geram suspeitas pelo comportamento anômalo em relação a outros cantos do mundo: desde o início de maio, há uma média de 900 novos casos por dia que não sobe e nem abaixa, enquanto o total de 204 óbitos apresenta uma taxa de letalidade baixíssima – com mortes possivelmente subnotificadas e atribuídas a causas distintas. O número de testes realizados é alto, superando a média por milhão de habitantes dos Estados Unidos ou da Alemanha. De qualquer maneira, a ditadura local continua minimizando a importância do isolamento social e, no início de maio, realizou até mesmo uma parada militar em feriado que levou 15 mil às ruas.

Neste domingo, a final da Copa de Belarus reuniu 5,7 mil espectadores nas arquibancadas do Estádio Dínamo, com capacidade para 22 mil presentes. Foi o maior público desde o início da pandemia em Belarus, que possui média de 727 torcedores por jogo na liga nacional. Na terça-feira passada, Bate Borisov e Dynamo Brest já tinham juntado 4,3 mil pessoas no duelo pelo Campeonato Belarusso. Já a “revanche” deste sábado superou a marca, com mais uma vitória do Bate sobre os principais concorrentes.

Durante a última temporada, o Dynamo Brest foi o responsável por encerrar a sequência de 15 títulos consecutivos do Bate Borisov na liga. A Copa de Belarus, então, se tornou uma questão de honra para os auriazuis recuperarem seu poderio. O empate sem gols perdurou até os 16 minutos do segundo tempo da prorrogação, mas o Bate conseguiu evitar os pênaltis com uma vitória heroica. O gol saiu a 20 segundos do fim dos acréscimos, em sequência de rebatidas na área, até que Zakhar Volkov completasse às redes.

Este foi apenas o quarto título do Bate Borisov na Copa de Belarus, o primeiro desde 2015. O clube também lidera o Campeonato Belarusso, com uma vantagem de um ponto no topo da tabela, após dez rodadas. A liga nacional, entretanto, teve jogos de algumas equipes adiados por conta de casos suspeitos da COVID-19 nos elencos. Mas, diante da reiterada postura da ditadura local, é difícil imaginar uma mudança de rumos a esta altura.