Que o Manchester City era favorito ao receber o Watford no Estádio Etihad, disso ninguém tinha dúvidas. Mas dificilmente alguém esperaria uma vitória construída de maneira tão instantânea pelos Citizens. Depois de míseros 37 segundo, o time de Pep Guardiola já estava em vantagem dentro de sua casa. E não deixaria a tranquilidade escapar nos mais de 90 minutos restantes. Os Hornets tiveram uma chance ou outra, parando no goleiro Ederson. Mas muitas mais foram as oportunidades criadas pelos Citizens, que amassaram os visitantes e poderiam ter feito além dos 3 a 1 registrados no placar. Vitória massiva que dá gás aos líderes da Premier League, após o tropeço contra o Crystal Palace no último domingo.

O lesionado Gabriel Jesus viu o jogo apenas das tribunas. Mas as notícias para o City eram melhores do que muitos poderiam imaginar. Kevin de Bruyne, que saiu de campo com a perna imobilizada há dois dias, aparecia no time titular. David Silva, ausente anteriormente por questões pessoais, também jogaria. Sergio Agüero, Leroy Sané e Raheem Sterling formavam a linha de frente. Já na zaga, John Stones estava de volta. Mesmo com boas peças, o Watford precisava de muito mais do que competência para aprontar no Etihad.

E faltou até sorte aos visitantes. Afinal, o Manchester City balançou as redes sem sequer deixar os adversários tocarem na bola. Uma enfiada de David Silva aproveitou a velocidade de Sané, que cruzou na medida, com curva. A bola passou por toda a zaga do Watford antes que Raheem Sterling anotasse o seu 18° gol na temporada. Bastaram 37 segundos para que o placar fosse inaugurado. Na comemoração, o inglês homenageou Gabriel Jesus, repetindo o gesto do ‘Alô, mãe’. Pouco depois, o segundo só não saiu porque Stones chutou forte demais, por cima, ao receber mais uma bola açucarada de Sané.

O Watford tentava dar uma resposta, confiando nas bolas longas, que pegassem as costas da zaga. Ederson, do outro lado, vinha muito atento nas saídas e fechou o ângulo de Andre Gray, aos seis. Independentemente disso, a posse de bola e a pressão eram do Manchester City. O time da casa aproveitava principalmente as incursões pelas laterais, com Sané voando pela ponta esquerda e Kevin de Bruyne aproveitando os espaços na direita, enquanto Sterling centralizava. Em uma dessas, o belga tentou cruzar para Agüero. No meio do caminho, apareceu Christian Kabasele e marcou contra, ampliando a vantagem dos anfitriões.

Com os dois gols, o City pôde tirar o pé do acelerador. De Bruyne quase anotou um golaço de falta, em bola que Gomes desviou e ainda esbarrou no travessão. Ainda assim, os celestes não precisavam de tanta ferocidade, até pensando no calendário exigente desta virada de ano. O Watford poderia ter descontado, em bola na qual Gray saiu de frente para o gol. Ergueu a cabeça e bateu consciente, mas Ederson operou um milagre no mano a mano. Apenas um espasmo diante do domínio dos Citizens, que persistia mesmo sem tanta insistência. Entre as várias finalizações, Agüero protagonizou a melhor, para boa defesa de Gomes.

No segundo tempo, a partida virou um recital do Manchester City. A agressividade do time de Pep Guardiola parecia algo natural, enquanto as ações seguiam ritmadas pela música vinda dos pés celestes. Envolvendo os oponentes, os Citizens iam perdendo as chances que criavam. Até que o terceiro gol saísse aos 17 minutos. Após cobrança de escanteio, De Bruyne cruzou por baixo e Gomes não segurou. O rebote sobrou livre nos pés de Agüero, em posição ligeiramente adiantada. O argentino não perdoou.

A partir de então, Guardiola fez as suas trocas. Tirou Stones, Fernandinho e De Bruyne. O brasileiro, sobretudo, recebeu muitos aplausos da torcida no Estádio Etihad, pela maneira como preencheu o meio-campo e orquestrou a sua equipe. Foram 119 passes em apenas 71 minutos. Depois disso, o City criou uma chance ou outra, até que o Watford esboçasse uma reação nos dez minutos finais. O gol de honra saiu aos 36, quando André Carrillo deixou Kyle Walker comendo poeira, antes de cruzar para Gray completar na pequena área. Ao fim, coube aos Citizens controlarem um pouco mais a posse de bola e deixarem o tempo passar para comemorar a vitória.

Líder absoluto, o Manchester City chega aos 62 pontos em 66 possíveis. Abre uma vantagem de 15 pontos sobre o vice-líder Manchester United, que pode diminuir caso o Chelsea derrote o Arsenal no clássico desta quarta. Sossego enorme, mesmo após o empate na rodada passada. Agora, o time se concentra nos compromissos com Burnley e Bristol City pelas copas, antes de visitar o Liverpool pela Premier League em duas semanas. O Watford, por sua vez, estagna no meio da tabela. Depois do excelente início de campanha, o time ocupa o décimo lugar. O time de Marco Silva venceu apenas um de seus últimos nove jogos pela liga, com sete derrotas no intervalo.

Veja o gol de Sterling

Veja o gol contra de Kabasele

Veja o gol de Agüero

Veja o gol de Andre Gray


Os comentários estão desativados.