O Barcelona conquistou o título do Campeonato Espanhol neste sábado, em uma vitória sobre o Levante. O jogo do título foi bastante típico para representar como foi a temporada da equipe comandada por Ernesto Valverde. Futebol apenas razoável, Lionel Messi decidindo e vitória. Foi o 10º título de Messi em La Liga, uma década marcante para o camisa 10, que teve pela primeira vez o privilégio de poder levantar a taça como capitão que se tornou nesta temporada.

Foi o 26º título do Barcelona em La Liga e o oitavo em 11 anos. É um amplo domínio interno. O gol de Messi, que decidiu o jogo no placar de 1 a 0, foi o 34º do jogador em 35 jogos. Uma marca impressionante do craque argentino. Se considerarmos todas edições de La Liga com Messi, são 10 títulos em 15 edições. No total de títulos, o Barcelona ainda está bastante atrás do Real Madrid, 26 títulos contra 33 dos merengues. Contudo, fica claro que o Barcelona vem sendo o clube dominante na Espanha na última década.

O título já estava muito próximo, por isso o Barcelona queria definir logo a conquista para se concentrar na outra frente, a Champions League. Nesta semana, na quarta-feira, o time recebe o Liverpool no Camp Nou para o jogo de ida da Champions League. Só que o jogo em si teve pouco a ser comemorado. O futebol foi apenas razoável, criou algumas chances, mas nada que empolgasse. O placar de 0 a 0, que foi para o intervalo, já indicava que as coisas não pareciam tão fáceis quanto se imaginava.

Se não tinha Messi, o Barcelona contou com Philippe Coutinho bem em campo. O brasileiro mostrou que pode ser uma opção interessante para o jogo contra o Liverpool. O brasileiro chutou cinco vezes a gol durante o jogo, sendo uma figura que apareceu muito no jogo. No intervalo, ele saiu, apesar da boa atuação, o que pode ser um indicativo que o técnico pensa em utilizá-lo como titular desde o início no jogo do meio de semana. Em seu lugar, veio a campo Messi.

Aos 16 minutos do segundo tempo, o gol da vitória do Barcelona. Uma jogada mais brigada do que efetivamente bela, com Ousmane Dembélé começando a jogada, mas a bola foi pipocada na área, saiu, e teve Arturo Vidal brigando pela bola até que ela sobrou para Messi. Com a tranquilidade que lhe é habitual, tirou da marcação e chutou para marcar 1 a 0. Gol da vitória.

Não que o Barcelona não tenha tentado marcar mais gols. Vidal chutou forte, exigindo defesa firme do goleiro Aitor Fernandez. Só que o Levante também teve a chance de marcar, em uma falha da defesa blaugrana, que sobrou para José Morales. O jogador chutou por cima e desperdiçou uma preciosa oportunidade. Quem também teve chance desperdiçada foi Vidal, depois de interceptação de Piqué, que passou para o jogador chileno chutar por cima. Por fim, Enis Bardhi teve uma chance clara, com um chute no meio da área, livre, aos 43 minutos. Tocou no canto, mas a bola tocou na trave e Ter Stegen agarrou em seguida.

No final, vitória do Barcelona pelo placar mínimo, o suficiente para ficar com a taça. Se o Barcelona passou longe do encanto causado por times como o do ex-técnico do clube, pep Guardiola, no Manchester City, esse time tem uma precisão e eficiência altas, algo que se deve ao técnico Ernesto Valverde. O treinador também é responsável pela falta de um jogo mais interessante por vezes, mas parece ter crescido nos momentos decisivos desta temporada. Poderá mostrar isso diante do Liverpool. O título espanhol é sempre muito importante e estabelece um domínio claro do time na liga. A pretensão agora é conquistar a tríplice coroa. Nesse sentido, conquistou a primeira taça. Faltam duas. E uma delas é a Champions, que Messi certamente quer ganhar mais vezes – o argentino tem quatro taças do principal torneio europeu na carreira, em 2005/06, 2008/09, 2010/11, 2014/15.