Antes do jogo, Quique Setién havia reforçado a importância de o Barcelona ter uma boa atuação na rodada final com o Alavés para ganhar moral para a reta final da Champions League. Mesmo sem nada a disputar em La Liga, o jogo derradeiro era a chance de deixar uma melhor impressão do que as últimas, que fizeram até Messi criticar a equipe “débil”, em suas próprias palavras. A resposta veio, de forma apropriada, e o Barça goleou por 5 a 0 com uma atuação convincente.

A vitória já estava garantida mesmo no primeiro tempo. Aos 24 minutos, o Barça trocou passes no ataque, contou com boa movimentação de seus jogadores e chegou ao primeiro gol. Messi recebeu de Sergi Roberto na direita, cruzou, e Ansu Fati apareceu para fazer 1 a 0.

Dez minutos mais tarde, Roberto apareceu para roubar a bola no campo de defesa e puxar o contra-ataque, tocando para o meio e se lançando pela ponta. Recebeu e logo acionou Riqui Puig do outro lado, já dentro da área. O garoto driblou, atraiu a marcação e soltou para Messi, que vinha em velocidade. Em frente à pequena área, o argentino não desperdiçou e ampliou o placar.

Ainda na primeira etapa, mais uma belíssima jogada coletiva do Barça levaria a um gol. Aos 44 minutos, Messi abriu com classe para Alba, dentro da área. O lateral chegou já tocando de primeira, e Suárez completou para as redes.

Em outros lances de destaque do primeiro tempo, Puig e Messi chegaram a acertar o travessão e a trave, respectivamente, mas os gols restantes ficariam para o segundo tempo.

Aos 12 minutos da etapa complementar, Messi tocou para Puig, que viu a entrada de Semedo na área. Rapidamente, o garoto infiltrou a bola para o lateral, que bateu cruzado e fez o 4 a 0. Para fechar, aos 30 minutos, Alba cruzou, e Messi bateu de primeira para vencer o goleiro do Alavés.

Por mais que o oponente não tivesse nada em disputa e pouco tenha oferecido de desafio, o Barcelona precisava de uma apresentação boa e fluida como a deste domingo (19). A movimentação ofensiva, em especial, foi muito positiva, com destaque para a utilização das alas para a criação de jogadas.

Com razão, as críticas se multiplicam ao futebol da equipe nesta temporada, e o ar agora ao menos fica mais leve para os 20 dias de preparação antes do confronto de oitavas de final com o Napoli, na última competição que resta ao clube em 2019/20.