Nenhum clube da Premier League vive melhor fase que o Liverpool. Há quase dois meses os Reds não sabem o que é derrota na competição, acumulando seis vitórias e três empates. Conquistaram mais pontos do que qualquer outro concorrente no período. Mas os muitos deslizes no início da campanha não permitiram que o time de Brendan Rodgers evoluísse tanto na tabela. Afinal, a maioria dos concorrentes ao Top Four também vive bons momentos, e aqueles não tão bem tinham gordura para queimar. Para subir, o Liverpool precisa vencer os confrontos diretos. E, por isso mesmo, a vitória por 3 a 2 sobre o Tottenham em Anfield se torna tão importante neste momento da temporada.

LEIA MAIS: Gerrard merecia um jogo melhor no seu provável último dérbi de Liverpool

Os Reds não deixaram a sétima colocação, é verdade. Mas se o jogo terminasse empatado, como o placar apontava até os 38 minutos do segundo tempo, permaneciam a quatro pontos dos Spurs e poderiam ver os outros concorrentes diretos abrirem distância. Agora, a equipe já está colada no Tottenham, apenas um ponto atrás, e esperando por tropeços de Southampton e Manchester United no complemento da rodada. Conquistar a vaga na Champions 2015/16 será complicado, mas o Liverpool vem fazendo sua parte muito bem.

Sobretudo, pela forma como a equipe tem atuado nas últimas semanas. A intensidade no ataque valem muito aos vermelhos, relembrando os seus melhores momentos em 2013/14, e outra vez fez a diferença. A vitória começou a ser construída a partir de uma bobeira da defesa adversária, que Lazar Markovic não perdoou. O setor defensivo do time de Brendan Rodgers também melhorou, é verdade, mas voltou a cometer os seus vacilos nesta terça. Tanto que um escorregão de Sakho deixou o caminho livre para Harry Kane empatar 11 minutos depois.

Sturridge quase retomou a vantagem pouco antes do intervalo, parando na trave. Mas, logo no começo do segundo tempo, o próprio atacante sofreu um pênalti, que acabou convertido por Steven Gerrard. Diante de uma partida tão importante, o Tottenham não se limitou a ficar na defesa e voltou a partir para cima. Empatou outra vez logo na sequência, com Dembélé estufando as redes a partir de um rebote de Mignolet. E o goleiro, mesmo criticado, vai provando a sua ascensão recente, segurando o placar com duas grandes defesas.

LEIA MAIS: Camisa do Liverpool trará campanha por deficientes visuais contra o Tottenham

Somente depois do empate é que o Liverpool voltou a pressionar mais. E a torcida já perdia as esperanças quando, aí sim, passou a praguejar contra Brendan Rodgers, quando Balotelli entrou no lugar de Sturridge. Para que o Italiano resolvesse. Depois de 770 minutos de seca, o camisa 45 anotou o seu primeiro gol na Premier League. Estava no lugar certo e na hora certa para completar o cruzamento de Lallana, após ótima infiltração. Garantiu aqueles que talvez sejam os três pontos mais importantes dos Reds na tabela até o momento – a primeira vitória desde agosto contra um adversário que atualmente está a sua frente na classificação.

Em sua arrancada recente, o Liverpool já bateu West Ham e Tottenham, dois rivais diretos na briga pelo Top Four. Nas próximas duas rodadas, ainda pegam Southampton e Manchester City, enquanto faz jogos fundamentais ante Arsenal e United na virada do mês de março. Momentos-chave para os Reds provarem a força e, enfim, conseguirem compensar tantos pontos perdidos no primeiro turno. Ir para a Champions já não parece mais impossível. E, se a fase atual começasse meses antes, poderia até colocar o clube de novo na briga pela taça. Agora, no entanto, resta se concentrar nas chances que a equipe ainda tem, e que são reais.