O Brexit é uma pauta muito forte para os britânicos nos últimos meses, para não dizer nos últimos dois anos, desde que David Cameron colocou o plebiscito em votação e a opção por sair da União Europeia venceu. É difícil um britânico que não tenha se envolvido nisso. Gareth Bale é um deles. O britânico mais vencedor da Champions League, com quatro taças, vive fora doo país, no Real Madrid. E não é só sobre o Brexit que ele não sabe. O galês admitiu que pouco sabe sobre o que acontece no mundo à sua volta. Acompanha apenas e tão somente golfe.

Bale é um jogador discreto. Muito se fala sobre ele fora de campo, mas ele mesmo fala muito pouco. Era considerado um jogador fora dos planos do técnico Zinedine Zidane no seu retorno ao Real Madrid, mas ele acabou ficando. E, mais do que isso, tem mostrado que não pretende deixar o clube. Ele é acusado de se preocupar mais com golfe do que com futebol, algo que ele dá elementos. Também dizem que ele não fala espanhol, algo que quem convive com ele, ou o entrevista, refuta. Ele fala em espanhol com tranquilidade.

Como Bale imagina a aposentadoria? “Em um campo de golfe”, respondeu o galês em entrevista ao Telegraph. Ele é insistentemente criticado na imprensa espanhola por sua suposta falta de comprometimento, essa vida alienada de tudo e que ele se preocupa apenas com o golfe. Seu apelido no Real Madrid, segundo outra reportagem do Telegraph, é “the golfer”, justamente por refletir esse seu gosto por esse esporte.

No Real Madrid desde 2013, Bale tem contrato com o clube espanhol até junho de 2022, quando terá 33 anos. Uma idade que os jogadores já consideram a aposentadoria. “Eu não pensei muito sobre aposentadoria, mas eu tenho 30 anos e você dar atenção a isso. Eu estou tentando arrumar as coisas, então eu tenho essas coisas para fazer, mais do que apenas sentar no meu sofá”, contou ainda Bale.

O jogador não é adepto das redes sociais. Ele as possui, mas são conteúdos produzidos por sua assessoria e aprovados por ele. Ler conteúdo na imprensa pode ser algo que faça mal e, assim, ele diz que prefere não consumir notícias em geral. “É insano. Nós temos que cuidar de nós mesmos, porque eu não quero a minha filha esbarrando em algo feito por alguém que ela nunca nem conheceu. O mesmo com a minha esposa e eu”, afirmou ainda o jogador.

“Eu não tenho nada no meu telefone, então a menos que meus amigos me mandem algo ou meus empresários me contem algo que eu precise saber, eu não presto atenção. Eu não vejo necessidade disso”, conta o jogador. O repórter do Telegraph perguntou qual era a visão dele sobre o Brexit. E, bom, a resposta dele diz muito justamente por falar pouco.

“Eu olho para as coisas financeiramente, porque o Brexit me afeta de um certo modo pelos investimentos ou o dinheiro, porque as coisas mudam, mas eu não leio a maior parte dessa coisa sem sentido. Eu genuinamente não sei 99% do Brexit. Eu não sei nem quem é o primeiro ministro mais. Eu não tenho nem ideia”, continuou o atacante.

Quando o repórter diz que o primeiro ministro é Boris Johnson, Bale então se manifesta. “Bem, aí está. Eu não sabia disso. Eu pensei que ele era o prefeito”, disse o galês. “Ele era, três anos atrás”, completa um empresário presente na entrevista. “Eu não posso dizer nada, então não estou interessado. Eu acompanho golfe, é isso. Eu posso te dizer quem é o número um no mundo?”, continuou Bale.

Há muita especulação sobre a sua saída do Real Madrid, mas ele não parece muito disposto a deixar a capital espanhola. “Me sinto muito feliz vivendo aqui, o estilo de vida, a cultura, a comida, o clima… Minha família está muito adaptada”, afirmou o jogador.

A profissão das pessoas nem sempre é a sua maior paixão. Isso é algo que acontece. Algumas vezes, a profissão que é a paixão da sua vida se desgasta, tal qual o amor que se sentia por outra pessoa e que se desgastou. Gareth Bale é um jogador de futebol, cumpre as suas obrigações, bate cartão nos treinos e nos jogos do Real Madrid.

Só que ser jogador de futebol coloca seus profissionais em um holofote, recebem muito dinheiro e acabam recebendo muitos elogios, mas muitas críticas também. Precisam lidar com a paixão que o esporte gera. E, mesmo para quem vive de algo inescapavelmente passional, é possível viver de futebol sem apreciar mais tanto.

Bale admitiu que ele não gosta mais de futebol como gostava quando era mais novo. “Quando você tem 18 anos, é algo que você sonhou, mas quando você está fazendo isso por um longo tempo, isso desaparece. Eu ainda gosto, mas quanto maior o nível, o prazer é menor”, contou o jogador. “Eu acho que quando você é mais novo, você não entende a negatividade que vem com isso”.

Bale não pensa em continuar trabalhando com algo relativo a futebol quando pendurar as chuteiras. “Não, obrigado. Eu prefiro que ninguém me reconheça”, disse. Como conseguir? “Ficando em um campo de golfe, é claro”, ele diz. “Não, as pessoas têm suas próprias preferências, mas eu prefiro apenas me recolher. Eu não quero continuar me promovendo. Quando eu terminar, eu quero uma vida mais quieta, relaxada”.