A saída de Tiemoué Bakayoko do Monaco era iminente. E a esperada transferência para o Chelsea se concretizou neste sábado. Os Blues apresentaram o volante de 22 anos, em contratação que custou €40 milhões aos cofres do clube. Valor alto para um jogador que disputou apenas uma temporada em alto nível, mas que se explica pela qualidade de suas atuações com os monegascos, assim como por todo o seu potencial. É nisso que os londrinos apostam, em vínculo pelos próximos cinco anos. Além do mais, o francês se sugere como o parceiro perfeito para atuar ao lado de N’Golo Kanté, compondo um meio-campo extremamente potente e muito dinâmico. Parece escolhido a dedo, com suas virtudes se casando bem ao padrão do time de Antonio Conte.

VEJA TAMBÉM: O prodigioso elenco do Monaco ganha ainda mais talento com a contratação de Tielemans

Formado nas categorias de base do Rennes, Bakayoko disputou uma temporada pelo clube, antes de ser contratado pelo Monaco, por €8 milhões. Não se firmou de imediato no principado, compondo o elenco, mas a cada ano ia ganhando mais minutos. Até que o ápice viesse em 2016/17, sua terceira temporada pelos alvirrubros. O meio-campista se transformou em uma das peças-chave de Leonardo Jardim. Teve grande parte nos sucessos do clube, campeão da Ligue 1 e semifinalista da Liga dos Campeões. Dividindo a cabeça de área principalmente com Fabinho, possibilitava que a engrenagem funcionasse, ajudando a equilibrar um time que explorava bastante os lados.

Individualmente, Bakayoko possui diversos predicados. É um jogador de ótima capacidade física, alto e atlético, com potência nas arrancadas. Cobre uma grande área no campo. Prima pelos fundamentos defensivos, contribuindo bastante nos desarmes e nas interceptações. Já com a bola, possui certa qualidade técnica. Costuma fazer o básico, com ótima velocidade de raciocínio, e aproveita os dribles para encontrar brechas na intermediária. Por fim, ainda ganha muitas bolas pelo alto, podendo servir como uma arma nas bolas paradas. Desta maneira, ele anotou um gol fundamental contra o Manchester City na Liga dos Campeões, auxiliando na campanha notável do Monaco.

“Estou muito feliz em estar aqui e me juntar a este grande time. Eu cresci assistindo ao Chelsea. Assinar foi uma coisa natural para mim, porque este era um clube que eu adorava na minha infância. Agora pretendo evoluir sob as ordens deste técnico fantástico e ao lado de muitos grandes companheiros”, declarou Bakayoko, em sua apresentação. O francês usará a camisa 14.

Em Stamford Bridge, Bakayoko se reencontrará com Kanté, seu companheiro na única partida que disputou pela seleção. O melhor jogador da Premier League 2015/16 foi titular contra a Espanha, enquanto o monegasco entrou nos 45 minutos finais, substituindo Adrien Rabiot. Contudo, ambos não evitaram a derrota por 2 a 0 para a Espanha. A princípio, dentro da formação utilizada por Antonio Conte na temporada passada, o novato concorre com Nemanja Matic – recuperando a melhor forma, mas longe de ser unanimidade. Independentemente da titularidade ou não, rechear o elenco é importante em uma temporada que exigirá mais dos Blues, tentando o bicampeonato da Premier League e retornando à Liga dos Campeões. Assim, os volantes estão entre as peças mais essenciais ao estilo de jogo dos londrinos.

No Estádio Louis II, a lacuna no meio-campo já vinha sendo prevista e preenchida. Youri Tielemans, contratado junto ao Anderlecht, não é tão sólido defensivamente quanto Bakayoko, mas se sobressai nas virtudes ofensivas e pode ocupar a mesma posição. O Monaco ainda buscou Soualiho Meïté, volante defensivo que disputou o último Campeonato Belga pelo Zulte Waregem. E é de se esperar que outros jovens do elenco ganhem minutos, como Kévin N’Doram, Adama Traoré e Youssef Aït Bennasser – os dois últimos retornando de empréstimo. Enquanto isso, ao menos por ora, Fabinho permanece.

Bakayoko é o segundo grande anúncio do Chelsea para a próxima temporada, após a compra do zagueiro Antonio Rüdiger. Além deles, Willy Caballero chegou para ser o reserva de Thibaut Courtois na meta. As expectativas se concentram principalmente sobre quem será o astro que comandará o ataque, diante da provável saída de Diego Costa e da frustração com Romelu Lukaku. Andrea Belotti e Álvaro Morata são os nomes mais mencionados pela imprensa inglesa. Cenas para os próximos capítulos.