Não adianta. Gonzalo Higuaín será sempre lembrado pelo gol perdido na final da Copa do Mundo de 2014 – e, para quem quiser ser ainda mais maldoso, também pela grande chance que desperdiçou na decisão da Copa América de 2015. Como costuma ser normal para os centroavantes, o argentino dá as suas engrossadas. Mas também possui suas virtudes. Não é tão imprestável assim, como boa qualidade técnica para alguém de seu porte físico. E também os seus lampejos, como o que encerrou a vitória do Napoli sobre o Legia Varsóvia por 2 a 0, em duelo válido pela Liga Europa.

A vitória dos napolitanos na Polônia começou com uma boa cabeçada de Mertens. Até Higuaín parecer um Messi destro e grandalhão. O centroavante recebeu a bola na ponta esquerda e, na entrada da área, passou por três marcadores antes de acertar um petardo de fora da área, no ângulo do goleiro. Golaço. Ressalta a sua boa fase na temporada que começa: são seis gols em oito jogos, com os napolitanos liderando sua chave na Liga Europa. O goleador parece já ter superado a nova frustração com a Argentina, além do péssimo momento com o Napoli no final de 2014/15, quando foi apontado como um dos principais responsáveis pela ausência na Champions – especialmente depois da derrota para a Lazio no San Paolo.