O Borussia Dortmund não é o líder da Bundesliga apenas pela regularidade apresentada na campanha ou pela pitada de sorte para vencer jogos intensos. Também é, sobretudo, pela maneira com o time de Lucien Favre vem encarando os compromissos de peso. E que o Schalke 04 atravesse uma temporada ruim, o clássico em Gelsenkirchen sugeria uma exigência maior sobre os aurinegros. Pressão esta que a equipe sequer sentiu. Com mais uma atuação consistente, mandou durante os 90 minutos na Veltins Arena. E mesmo que tenha sofrido o empate, foi segura de si para comemorar a vitória por 2 a 1, confirmando ainda mais o BVB no topo da tabela.

Garantido nos mata-matas da Liga dos Campeões, embora corra o risco de terminar na segunda colocação de sua chave, o Borussia Dortmund entrou com força máxima em Gelsenkirchen. E o gol precoce ajudou os aurinegros a atuarem de maneira segura fora de casa. Thomas Delaney deixou o time em vantagem aos sete minutos. Marco Reus cobrou falta na intermediária e o dinamarquês demonstrou toda a sua qualidade nas bolas aéreas. Movimentou-se muito bem para se livrar da marcação e cabeceou firme. Os líderes seguiram melhores na etapa inicial. Criaram mais chances e atacavam com objetividade, mesmo sem ampliar a diferença. Faltava acertar as definições.

O Dortmund até seguiu melhor no começo do segundo tempo, mas logo o Schalke passou a incomodar mais no ataque e ganhou um pênalti aos 15 minutos. Lance discutível, mas confirmado após a consulta ao árbitro de vídeo. De fato, Reus pisou no pé de Amine Harit, mas a marcação gerou reclamação dos aurinegros. Na cobrança, Daniel Caligiuri não quis nem saber das controvérsias e converteu. Só que o lance também acordou os aurinegros, que passaram a explorar ainda mais a velocidade de seu ataque para retomar a diferença. Deu certo.

O segundo gol aconteceu aos 29 minutos. Méritos de Jadon Sancho, vivendo uma temporada excepcional. O inglês partiu em velocidade pela esquerda e tabelou com Raphaël Guerreiro. Pegou a defesa do Schalke aberta e, ao invadir a área, teve toda a calma para tirar do alcance de Ralf Fährmann. Gol de quem sabe. E o goleiro ainda evitaria o terceiro logo na sequência, com duas defesaças. Fechou o ângulo de Reus no mano a mano e se recuperou para salvar o rebote, rebatendo com o pé o arremate de Sancho. Os Azuis Reais sentiam o baque e davam poucos sinais de reação. Aos 40, Guerreiro também acertou a trave dos anfitriões. Nada que fizesse falta, com a vitória gerando enorme comemoração da torcida visitante.

Com a vitória, o Dortmund chega aos 36 pontos. Abre momentaneamente nove pontos de vantagem sobre o segundo colocado – o Bayern de Munique, que assumiu a posição provisória após derrotar o Nuremberg por 3 a 0 na Allianz Arena. Caso o Borussia Mönchengladbach perca para o Stuttgart neste domingo, os aurinegros garantem o título simbólico do primeiro turno da Bundesliga com três rodadas de antecedência. Prova contundente do ótimo encaixe da equipe, que faz miséria no ataque sem precisar se descuidar na defesa, com uma campanha ainda invicta. Pior ao Schalke, que perde a chance de ganhar um gás com o clássico em casa e ocupa apenas o 12° lugar, com 14 pontos. Os dois times voltam a campo no meio de semana, ambos classificados aos mata-matas da Champions.