A Costa do Marfim vem passando por uma renovação sensível nos últimos anos. Em 2014, Didier Drogba se despediu da equipe nacional. Meses depois, foi a vez de Yaya Touré dizer adeus aos Elefantes, com a sonhada taça da Copa Africana de Nações nas mãos. Mesmo outros jogadores emblemáticos deixaram o elenco desde então, como Didier Zokora, Kolo Touré e Boubacar Barry. E o técnico Michel Dussuyer perdeu Gervinho às vésperas da CAN 2017, por conta de uma lesão no joelho. O elenco que viajou ao Gabão não sofre falta de qualidade, embora não seja tão tarimbado. Acabou ficando pelo caminho: sem uma vitória sequer na fase de grupos, a derrota por 1 a 0 para Marrocos custou a eliminação dos marfinenses.

Olhando apenas para o papel, a Costa do Marfim aparecia entre os favoritos da Copa Africana. Salomon Kalou, com certas sobras, era o mais rodado da equipe. O raro exemplar da “velha guarda”. Ao seu lado, Wilfried Bony, Serey Die e Max Gradel também adicionavam uma experiência importante. E o restante do elenco contava com várias jovens opções em posição de destaque no futebol europeu. Era o caso de Eric Bailly, Serge Aurier, Jean Seri, Franck Kessié e Wilfried Zaha. Porém, as qualidades individuais não deram liga como equipe. Depois de dois empates, os Elefantes falharam na partida decisiva.

Um ponto atrás, só a vitória interessava à Costa do Marfim diante de Marrocos. Os talentos dos Elefantes, porém, não conseguiram fazer a diferença no ataque. E sentiram o duro golpe aos 19 do segundo tempo, em uma pintura dos Leões do Atlas. Rachid Alioui, que saíra do banco no final da primeira etapa, puxou contra-ataque e, de fora da área, deu um lindo tapa no ângulo de Sylvain Gbohouo. Depois, contra um adversário bem mais organizado, os marfinenses fizeram pouquíssimo para arrancar a virada.

Marrocos acabou com a segunda colocação do Grupo C. A liderança é da República Democrática do Congo, que nos últimos anos vem pleiteando um lugar entre as melhores seleções da África e é candidata real a uma vaga na Copa do Mundo de 2018. Os Leopardos, que seguraram um empate eletrizante contra a Costa do Marfim na rodada anterior, não tiveram trabalho para atropelar o lanterna Togo. Vitória por 3 a 1, com Junior Kabananga, Ndombe Mubele e Paul Jose M’Poku anotando os tentos dos congoleses.

À Costa do Marfim, de atual campeã, resta a volta para casa – o que alivia diversos clubes europeus, com o retorno de jogadores importantes. E é bom aprender as lições da Copa Africana de Nações. Marrocos é justamente um de seus adversários nas Eliminatórias para a Copa de 2018, em chave que também conta com Gabão e Mali. Apenas o líder irá ao Mundial.