Mattia Caldara está de volta à Atalanta. O zagueiro, de 25 anos, tornou-se uma sensação com as ótimas campanha da Dea nas temporadas recentes. Contratado pela Juventus, não conseguiu jogar por lesões. Foi para o Milan, em um negócio que parecia muito lucrativo aos rossoneri. Novamente atrapalhado por lesões, não conseguiu jogar. Assim, acerta o seu empréstimo por 18 meses à Atalanta, com obrigação de compra de apenas € 15 milhões, em busca de reencontrar o seu futebol.

Badalado como um jogador de seleção italiana e contratado pela Juventus em 2017 para ser o sucessor dos grandes zagueiros do time, nunca conseguiu se firmar, especialmente por causa das lesões que passaram a fazer parte da sua rotina. Não conseguiu jogar na Juventus, foi negociado com o Milan por € 35 milhões (que, na verdade, foram pagos com a liberação de Leonardo Bonucci para voltar à Velha Senhora), mas também se machucou e não conseguiu jogar.

Na atual temporada, o zagueiro não atuou nenhuma vez no time principal. Ficou seis vezes no banco de reservas e só entrou em campo pelo time primavera, que é das categorias de base (sub-19). Em toda temporada passada, 2018/19, foram apenas três jogos, sendo um na Copa da Itália, outro na Liga Europa e um no time sub-19. Sua grande temporada foi mesmo em 2017/18, ainda pela Atalanta. Fez 34 jogos, sendo destaque da Serie A.

O problema de Caldara foram as lesões. Na temporada 2018/19, teve problemas musculares em setembro e ficou quase um mês fora. Em outubro, rompeu o ligamento do tendão de Aquiles, o que o afastou por pouco mais de três meses (106 dias) e o fez ficar fora de 21 jogos. Precisou voltar a ficar em forma quando se recuperou, mas não durou muito.

Em maio de 2019, rompeu o ligamento cruzado anterior, uma lesão grave, e ficou fora do resto daquele fim de temporada e ainda do início da atual, 2019/20. Ficou afastado até outubro de 2019, perdendo, no total, 11 jogos, embora o período de afastamento tenha sido o maior da carreira, 165 dias – todo o período de férias de verão europeu. Teve mais uma pequena lesão em outubro, com um problema no tendão que o tirou de ação por mais uma semana e dois jogos. Perdeu completamente o espaço no Milan e não era mais aproveitado.

Seu retorno à Atalanta, então, torna0se uma oportunidade para a Dea reforçar o seu elenco. O time de Gian Piero Gasperini precisava de um jogador para o setor, ainda mais porque joga na maioria das vezes com três zagueiros centrais. Também vira uma tentativa do Milan de recuperar o dinheiro, com uma cláusula que dá ao clube um percentual de uma eventual venda futura.

“Um representante genuíno do espírito de Bergamo, Mattia retorna a vestir a camisa nerazzurri depois de dois anos com o objetivo de escrever mais páginas maravilhosas na sua história na Atalanta. Bem-vindo à sua casa, Mattia!”, diz o comunicado da Atalanta anunciando a contratação.

“Eu estou muito empolgado por estar aqui novamente, mas eu vejo o retorno à Atalanta como um ponto de partida”, disse o jogado ao canal oficial do clube. “Eu não jogo há um ano e meio, então eu sei que será difícil conquistar o meu lugar no time, mas eu cheguei com muita humildade e totalmente consciente que eu tenho que trabalhar duro. Eu mal posso esperar para começar e dar a minha contribuição”.

“Eu conheço bem Gian Piero Gasperini e seus métodos. Nada realmente mudou desde que eu saí, já que eu sei o que o técnico quer e eu darei o meu máximo”, continuou o zagueiro. Quando Caldara saiu, o time estava na Liga Europa. Agora, está nas oitavas de final da Champions League. “É um time extraordinário nesta temporada e chegar às oitavas de final da Champions League era impensável até recentemente. Será uma honra fazer parte desse jogo”, disse o defensor.

A Atalanta volta a campo na próxima quarta-feira, pela Copa da Itália, contra a Fiorentina. Depois, joga na segunda, 20, contra a Spal, pela Serie A.