Esporte e esperança são duas palavras que se misturam com frequência. A esperança é capaz de empurrar, mesmo quando o que se espera é um milagre. A falta dela, porém, pode ser fatal. O sábado à noite não foi de alegria para o Vitória. O time não conseguiu vencer, mais uma vez, e está afundado na zona do rebaixamento. A esperança se esvai do rubro-negro baiano à medida que as areias do tempo migram de cima a baixo na ampulheta. O Atlético Paranaense, por sua vez, consegue sua primeira vitória fora de casa, 2 a 1, e enche o peito de esperança de conseguir uma vaga na Libertadores via Campeonato Brasileiro.

LEIA TAMBÉM: Vitória suada do Corinthians em Itaquera transfere angústia para o Vasco na luta contra rebaixamento

O jogo teve contornos dramáticos. Aos 25 minutos do primeiro tempo, o zagueiro Ramón marcou um gol contra, depois de um lance de azar. Em desvantagem, o Vitória já teria mais problemas ainda. O Atlético Paranaense também não era muito criativo, nem criava tantas jogadas, mas nem era preciso: o Vitória acabou oferecendo a chance de abrir o placar em um erro.

No segundo tempo, o Vitória se jogou ao ataque, mas esbarrou na imensa incompetência. Aos 40 minutos, Bruno Guimarães aproveitou uma das poucas boas jogadas para marcar 2 a 0 e praticamente selar a vitória. Neilton ainda descontou, de pênalti, mas nos acréscimos. Era tarde para reverter o resultado. Foi a 17ª derrota do Vitória, quase um turno inteiro. A situação, assim, fica cada vez mais difícil de ser contornada.

O Vitória chega a 16 jogos no segundo turno com 17 pontos somados. São apenas quatro vitórias, cinco empates e sete derrotas do Leão. Para não ser rebaixado, o Vitória, precisará de vitórias improváveis. A esperança, cada vez mais escassa, reside nos jogos contra o Cruzeiro na próxima quarta, 21, diante do Cruzeiro em Belo Horizonte; o Grêmio, no Barradão, no domingo, 25; e por fim contra o Palmeiras, em São Paulo, no dia 2 de dezembro.

O time baiano precisará, provavelmente, de ao menos duas vitórias e, possivelmente, até de três. Com adversários tão duros nas últimas rodadas, mudar o destino de cair para a Série B passará por um pequeno milagre.

O Furacão precisava da vitória para seguir na sua caminhada impressionante como o segundo melhor time do segundo turno, atrás apenas do líder Palmeiras. Das 14 vitórias do Atlético no campeonato, esta foi a primeira conquistada fora da Arena da Baixada. Contando apenas o segundo turno, o Atlético Paranaense chega a 16 jogos, com nove vitórias, dois empates e cinco derrotas, com 29 pontos conquistados.

A ascensão no segundo turno faz o Furacão sonhar. Com 50 pontos, o time fica a três do Atlético Mineiro, que também venceu na rodada ao bater o Bahia por 1 a 0 no Independência. Para quem chegou a estar na zona do rebaixamento, o Furacão agora briga contra o Atlético Mineiro pelo sexto lugar. O rubro-negro ainda sonha com o título da Sul-Americana, onde está nas semifinais e já venceu o jogo de ida contra o Fluminense. Se for campeão, estará na Libertadores independente da sua posição no Brasileiro. Pelo sim, pelo não, chegar em sexto garantiria o Furacão ao menos nas fases preliminares, o que seria um prêmio para o time, que se recuperou tão bem ao longo do ano.


Os comentários estão desativados.