O lateral esquerdo Danny Rose, do Tottenham e da seleção inglesa, falou sobre como o racismo é algo que incomoda os jogadores que acabam sofrendo com isso. O lateral estava em campo no jogo contra Montenegro, vencido pela Inglaterra por 5 a 1, que alguns torcedores fizeram cânticos racistas contra jogadores ingleses negros, como ele, Callum Hudson-Odoi e Raheem Sterling.  E mais do que isso, disse que não vê a hora de deixar tudo isso para trás quando encerrar a carreira, apesar de gostar muito de jogar futebol.

“Eu já estou cheio”, afirmou Rose. “No momento, como eu me programo é apenas pensar: ‘Eu tenho cinco ou seis anos mais restantes no futebol e eu mal posso esperar para dar as costas ao futebol’. Ver como as coisas são feitas no jogo no momento… É apenas… De qualquer forma, não é? Eu apenas quero cair fora disso”.

“Assim é como eu me sinto. Eu sinto que eu tenho cinco ou seis anos mais e eu apenas quero aproveitar o futebol o tanto quanto nós queremos. Há muita política e qualquer coisa em futebol e eu mal posso esperar para dar as costas a isso, para ser honesto”, disse o lateral do Tottenham.

“Obviamente, é um pouco triste [se sentir assim], mas quando países só recebem multas que eu provavelmente gastaria em uma noite em Londres, o que você espera?”, afirmou Rose. “Você vê meu técnico ser suspenso por dois jogos por apenas confrontar Mike Dean. Mas um país pode apenas ser multado com um pouco de dinheiro por ser racista. É apenas uma farsa no momento. Então, é onde nós estamos no futebol e até que haja uma punição pesada, não há muito mais que podemos esperar”, afirmou o jogador da seleção inglesa.

Mauricio Pochettino, técnico do Tottenham, disse na última semana que não hesitaria em tirar os jogadores de campo se algum deles fosse vítima de abuso racial. “Eu estava nas nuvens ao ouvir isso”, declarou Rose. “Eu falei com Gareth [Southgate, técnico da Inglaterra], depois do jogo contra Montenegro e ele não estava sabendo. Eu não mencionei no intervalo, então ele não sabia o que estava acontecendo até que ele ouviu, bem no final”, contou o jogador.

“O técnico estava um pouco chateado porque ele nos disse que é a primeira vez que ele está envolvido em algo como isso e ele disse que não sabia qual seria o curso certo de ação. Ele disse que ele estaria completamente do meu lado se eu quisesse deixar o campo Eu apenas queria conquistar os três pontos e sair de lá o mais rápido possível”, declarou Rose.

Em outubro de 2012, Rose sofreu do mesmo problema de insultos raciais na Sérvia, pelo Europeu sub-21. A cada vez que ele tocava na bola, gritos de macaco eram entoados no estádio. Aos 28 anos, agora em 2019, ele ouviu o mesmo tipo de insulto em Montenegro, pelas Eliminatórias da Eurocopa 2020. Na época, a Uefa fez pouco para combater o racismo: aplicou uma multa de € 80 mil e fez o time jogar sob portas fechadas por uma partida. Outras multas foram ainda menores que essa. Montenegro terá que fechar uma parte do seu estádio por ao menos uma partida das Eliminatórias da Eurocopa se for considerada culpada no caso que será analisado pela Uefa no dia 16 de maio.

Rose disse que estava preparado para ouvir o mesmo tipo de ofensa racial em Montenegro que ele tinha ouvido anos antes na Sérvia. “Aconteceu na Sérvia, então eu pensei que havia uma possibilidade que aconteceria de novo e aconteceu. Eu olhei para cima no primeiro tempo e eu sei o momento exato que aconteceu. Isso não afetou o meu jogo. Eu sou uma pessoa adulta e eu sei que os três pontos obviamente não são a coisa mais importante quando você está passando por algo assim, mas eu queria apenas conquistar os três pontos pelo time para seguirmos em frente”, contou o jogador.

“Eu não estava muito chateado para falar depois do jogo. Eu apenas não queria focar em ser eu e uma pequena minoria de torcedores fazendo os gritos. Eu queria que todo mundo focasse na grande semana que tivemos com a seleção inglesa”, contou.

A Inglaterra venceu seus dois jogos pelas Eliminatórias da Eurocopa e se colocou em uma ótima posição na classificação. Raheem Sterling foi vítima de racismo ao longo do jogo e, apesar disso, fez uma grande partida, foi decisivo e marcou inclusive um gol, que ele comemorou de forma silenciosa, abrindo os braços. Ele publicou no Instagram depois do jogo que esta é a melhor maneira de responder aos racistas.