A vitória do Botafogo sob o temporal no Rio de Janeiro, duas semanas atrás, não parecia garantia suficiente. Sim, os alvinegros construíram a vantagem no primeiro duelo contra o Defensa y Justicia pela Copa Sul-Americana, graças a um gol fantástico de Erik. Mesmo assim, a missão seria árdua na Argentina, visitando uma cancha acanhada e o time que melhor pratica futebol em seu país no momento. A equipe de Sebastián Beccacece fez o seu jogo. Contando com boa parte de sua base titular, os anfitriões dominaram a posse de bola no Estádio Norberto Tito Tomaghello e criaram mais ocasiões de gol. Todavia, a eficácia proporcionou a apoteose aos botafoguenses. Letais a cada avanço, os alvinegros conquistaram uma vitória maiúscula. Desta vez aplicaram 3 a 0 sobre os argentinos, mesmo com um jogador a menos durante os 20 minutos finais. Noite singular à torcida que se aventurou em Buenos Aires e que garante o clube na segunda fase do torneio continental.

O triunfo por 1 a 0 no Estádio Nilton Santos permitia que o Botafogo jogasse ao menos pelo empate. E realmente o Defensa y Justicia tomou a iniciativa em sua casa, mas pouco conseguiu fazer. Limitado a cruzamentos, assustava por vezes, esbarrando no esforço defensivo dos visitantes. Recuado, o time alvinegro aguardava uma bola decisiva – o que aconteceu no início do segundo tempo, com o mesmo herói da ida. Erik arrancou e encontrou os espaços às costas da zaga. Ficou de frente com o goleiro Ezequiel Unsain e não perdoou.

Em suas chances mais claras, o Defensa y Justicia furou na pequena área. E quando balançou as redes, aos 22 minutos, o juiz anulou por um impedimento discutível. Não que o Botafogo pudesse relaxar. Logo na sequência, Marcinho deixou o braço no rosto do adversário e foi expulso. Mas a sorte parecia mesmo do lado alvinegro, garantindo um pênalti sobre Rodrigo Pimpão minutos depois. Na cobrança, Erik ampliou. Por fim, a certeza da classificação veio da maneira mais contundente, a dez minutos do fim. Alex Santana arriscou um chute de muito longe, quase do círculo central. A bola venenosa saiu feito um foguete e encobriu Unsain, sem ter o que fazer. Golaço para abrilhantar um pouco mais a classificação excepcional.

O Defensa y Justicia teve 77% de posse de bola e finalizou seis vezes mais que o Botafogo, 25 contra 4. Terão que se limitar agora ao Campeonato Argentino, no qual disputam a liderança ponto a ponto com o Racing. O Botafogo, por sua vez, sai revigorado para a sequência da campanha. Se o ano não guarda boas perspectivas, a classificação indica um caminho. Foram vitórias determinadas por lances pontuais e de extrema felicidade. Ainda assim, os alvinegros superaram um adversário mais consistente e retornam com um placar espetacular de Buenos Aires. Mais uma história continental para os seus torcedores se orgulharem.